Por: Rodrigo Daniel Silva

O secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, não descartou, ontem, a hipótese de integrar uma eventual chapa da major Denice Santiago, como candidato a vice. Neste cenário, a comandante da Ronda Maria da Penha seria a cabeça da composição pelo PT, e o titular da Saúde seria o vice por outro partido da base do governador Rui Costa (PT).

“Existem coisas que não dizem respeito à vontade pessoal apenas, quando se insere em uma estrutura, em um grupo político, às vezes, você tem missão. Se o governador e outras pessoas dizem que precisam, você fica em uma situação difícil de dizer ‘não’. Agora, se perguntar se é do interesse ou do desejo pessoal se envolver em carreira política, eu digo que não. Eu não estou me movimentando. Não estou me articulando. Não estou me viabilizando para entrar em nenhum tipo de empreitada”, declarou.

Vilas-Boas ressaltou, porém, que nunca tratou do assunto. “Eu nunca tratei desse assunto com o governador. O governador nunca me procurou para conversar sobre essa possibilidade. A gente conversou, no começo do ano passado, sobre eu continuar com ele no mandato dele de governador até o final. Essa conversa nunca existiu (de ser vice). Eu não sou filiado a nenhum partido”, declarou.

Dentro da base do governo, a candidatura da major ainda não é unanimidade. O deputado federal Daniel Almeida (PCdoB) mostrou insatisfação com o nome de Denice. “Não vejo necessidade de buscar essa alternativa como se fosse uma grande novidade… Não encontrei nenhuma justificativa. Tentaram antes Bellintani. Fica parecendo que vai buscar alguém de fora a qualquer preço”, pontuou. Para ele, a major não conseguirá aglutinar a base. Segundo aliados, Rui planeja filiar a militar ao PT e conquistar o apoio das siglas de esquerda para ela. “Vejo chance zero de Denice ser o polo de aglutinação de todas as forças. Se o objetivo é constituir um bloco de esquerda, o perfil mais adequado seria Olívia (Santana, do PCdoB), Lídice (da Mata, do PSB) ou algum nome do PT. Todos têm o direito se apresentar, mas não há combinação com as características que a Denice traz”, pontuou. Pré-candidato a prefeito de Salvador, o senador Angelo Coronel (PSD) também criticou.

“O governador pelo visto optou por tentar fortalecer uma candidatura feminina fora do espectro político, antes era uma masculina (em detrimento aos que ficaram no relento ao longo desses 13 anos formando um dos grupos mais coesos do Brasil). Em sua entrevista, ele (Rui Costa) foi taxativo ao falar que o povo quer uma candidatura maternal (olha…bom gestor sei que ele é, mas vidente é uma surpresa). Fica patente a sua discriminação às candidaturas masculinas. Por que não o sentimento paternal?”, questionou Coronel, em um texto que foi divulgado pelo Whatsapp.

Obras

Em visita ao extremo do sul da Bahia, ontem, o governador Rui Costa inaugurou, acompanhado do Secretário da Educação Jerônimo Rodrigues, a Escola Estadual do Campo Anderson França, que fica no Assentamento Jaci Rocha, em Prado. O novo equipamento tem investimento de R$ 3,7 milhões e beneficia estudantes do ensino médio, técnico e fundamental. A estrutura dispõe de seis salas climatizadas, biblioteca, quadra poliesportiva, vestiários, alojamentos e auditório, além de laboratórios de ciências e informática. A unidade atende 92 alunos do ensino médio, outros 60 do curso de agroecologia e mais 325 crianças do ensino fundamental I e II, que utilizam a estrutura a partir de uma parceria entre a prefeitura e a rede estadual. As atividades no novo prédio serão iniciadas a partir de segunda-feira (17).

Compartilhar