As vendas no comércio varejista baiano em 2019 cresceram 2,1% em comparação a 2018. O dado foi divulgado nesta quarta-feira, 12, pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo ainda foi analisado pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan).

O crescimento de 7,4% em dezembro de 2019, na comparação com igual mês do ano anterior, contribuiu para o resultado positivo. Na análise sazonal, o comércio varejista no estado baiano foi positivo em 1,3%.

“Essa taxa do acumulado do ano foi a maior dos últimos quatro anos consecutivos e supera a média nacional, que registrou a expansão no volume de negócios de apenas 1,8%. O avanço de dezembro também foi bem superior ao nacional, que foi de 2,6%. Este desempenho do varejo baiano está relacionado ao aumento da empregabilidade, uma vez que a Bahia liderou a geração de empregos formais no Nordeste em 2019, com 30.858 novos postos de trabalho, através de políticas públicas que vêm dinamizando vários setores econômicos”, avaliou o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.

Quando comparados com dezembro de 2018, os dados do comércio varejista do estado baiano no mesmo período do ano passado, revelam que cinco dos oito segmentos que compõem o indicador do volume de vendas registraram comportamento positivo, são eles: Móveis e eletrodomésticos (50,8%), Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (17,3%), Tecidos, vestuário e calçados (8,5%), Combustíveis e lubrificantes (7,2%), e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (7,1%).

Nos demais segmentos, as variações negativas foram: Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,8%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-3,4%), e Livros, jornais, revistas e papelaria (-29,1%).

Compartilhar