Jairo Costa Júnior

Uma grande quantidade de documentos, aparelhos eletrônicos, joias e artigos de luxo foi apreendida ontem pela Polícia Civil em endereços da capital ligados ao advogado baiano Daniel Ângelo de Paula, apontado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) como um dos pilares do esquema investigado pela Operação Palhares. A ação foi deflagrada nesta segunda em quatro estados para desbaratar uma quadrilha especializada em vender créditos tributários fraudulentos para empresas interessadas em reduzir débitos com a Receita. De acordo com o MP do Rio, Daniel teria se unido a outros advogados para lesar grupos empresariais desde 2012.

Segunda chamada
Outro alvo da Palhares na Bahia é o advogado Marcio Duarte Miranda, preso em novembro pela Operação Faroeste por participar da suposta venda de sentenças no Tribunal de Justiça do estado. Miranda foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República como um tipo de testa de ferro da sogra, a desembargadora afastada Maria do Socorro Barreto Santiago.

Compartilhar