Os exames feitos pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Salvador apontaram que a ossada carbonizada encontrada dentro de um carro, em São Sebastião do Passé, é de Ludmila Aragão Campos, de 41 anos.

Segundo informações de familiares da vítima, o laudo saiu na última quinta-feira (6), e eles pegaram o resultado no Instituto Médico Legal (IML) nesta segunda (10).

O corpo de Ludmila Campos deve ser enterrado na quarta-feira (12), na cidade de Itaquara, onde a família dela mora.

Caso

Carro de Ludmilla foi encontrado carbonizado — Foto: Reprodução/TV Bahia

Carro de Ludmilla foi encontrado carbonizado — Foto: Reprodução/TV Bahia

Ludmila Aragão Campos estava desaparecida desde o dia 27 de janeiro. Os familiares acreditam que foi o namorado de Ludmila quem cometeu o crime.

Ainda de acordo com a família, a Ludmila é natural de Salvador e morava em Vera Cruz, na Ilha de Itaparica, há dois meses, quando foi para o local abrir um restaurante.

Os familiares contaram ainda que, no dia do crime, o companheiro da mulher, identificado como Charles, foi visto dentro da casa dela, por volta das 20h. Em seguida, moradores da região avistaram ele saindo dentro do carro da mulher, junto com ela.

Casa em que Ludmila morava foi queimada — Foto: Reprodução/TV Bahia

Casa em que Ludmila morava foi queimada — Foto: Reprodução/TV Bahia

Já no dia seguinte, o carro apontado como o de Ludmila foi encontrado queimado em São Sebastião do Passé. A ossada foi encontrada dentro do automóvel.

Compartilhar