Por: Rodrigo Daniel Silva

Embora tudo indique que a candidata do PT à prefeitura de Salvador será a major Denice Santiago por ter apoio do governador Rui Costa (PT) e do senador Jaques Wagner (PT), o presidente do partido na capital, Ademário Costa, disse que, a partir do dia 15 deste mês, a sigla vai começar a definir o nome do postulante que vai brigar pelo Palácio Thomé de Souza. Segundo ele, nesta data, haverá uma reunião da legenda para definir o método e o calendário para escolha da pré-candidatura.

Além de Denice, a socióloga Vilma Reis, a secretária Fabya Reis, o ex-ministro Juca Ferreira e o deputado estadual Robinson Almeida sonham em ser o candidato do PT à prefeitura de Salvador. Dentro da agremiação partidária, o comentário é de que, das seis maiores correntes, três ainda resistem em apoiar o nome da major. Entre elas, Avante. Uma dos principais lideranças desta tendência petista, o deputado federal Jorge Solla apoia o Juca, mas rasgou elogios a major em nota enviada à imprensa.

“A major Denice qualifica e amplia debate da candidatura do PT, porque agrega mais um ponto de vista. É alguém que lidera uma experiência na Segurança Pública muito bem-sucedida, a Ronda Maria da Penha, referência mundial na proteção de mulheres vítimas de violência. Se sua trajetória não é dentro de partidos políticos, sua atuação sempre foi política. É extremamente virtuoso colocar-se defronte de uma instituição notoriamente machista com o propósito de melhorá-la”, ressaltou Solla. Além da corrente Avante, Democracia Socialista e Esquerda Popular Socialista (EPS), que quer a secretária Fabya Reis como a candidata, também resistem ao nome de Denice.

As outras três principais Construindo um Novo Brasil (CNB), Resistência Socialista e PT de Todas as Lutas já declaram apoio à militar. Segundo Ademário Costa, o estatuto do PT permite que a escolha de candidaturas seja feita por meio de um Encontro Municipal, com voto direto dos delegados, ou de prévias eleitorais, com voto direto de todos os filiados. O calendário de escolha de candidaturas do partido será aprovado na reunião da executiva nacional na próxima sexta-feira, no Rio de Janeiro.

“O tempo de campanha e pré-campanha é o único ativo democrático que todas as candidaturas possuem, precisamos aproveitá-lo melhor. Vamos vencer essa etapa e tão logo apresentar à cidade o tão aguardado nome que vai liderar o PT na disputa eleitoral”, declarou. Ademário Costa ressaltou, ainda, que o PT em Salvador já começou a formular também um calendário de debates para a construção de um programa de governo.

Segundo ele, a intenção é realizar debates setoriais para reunir especialistas nas principais áreas de governo, bem como plenárias populares nos bairros, com a participação das bancadas de deputados, vereadores e pré-candidatos a vereadores. “Quem assumir a liderança desse processo sabe do desafio que está posto: é uma disputa de concepções antagônicas de cidade, mas também de projetos de sociedade. Vamos vencer as eleições, derrotar o projeto neoliberal de Bolsonaro, na Bahia sustentado pelo presidente nacional do DEM, ACM Neto, e fazer a gestão municipal mais socialmente inclusiva, mais participativa e mais ambientalmente sustentável que esse país já viu. Ser farol pra esquerda”, acrescentou.

Compartilhar