Futuro da energia renovável é discutido no Bahia Energy Meeting

O evento reúne representantes do governo estadual, empresários, desenvolvedores e entidades de ensino para compartilhar experiências e debater as perspectivas e principais desafios para o uso de fontes renováveis na Bahia.

Bahia Energy Meeting Discute o Futuro da Energia Renov·vel na Bahia.
Foto: ElÛi CorrÍa/GOVBA

O futuro da energia sustentável no Brasil é discutido na conferência Bahia Energy Meeting, que teve início nesta terça (3) e segue até quinta-feira (5), no Senai Cimatec, em Salvador. O evento reúne representantes do governo estadual, empresários, desenvolvedores e entidades de ensino para compartilhar experiências e debater as perspectivas e principais desafios para o uso de fontes renováveis na Bahia. A expectativa é que 800 pessoas participem do evento por dia.

“Nos próximos três dias, nós discutiremos a evolução do setor eólico e as oportunidades existentes na área de energia solar. Falaremos também das novas tecnologias, mobilidade elétrica, armazenamento de energia e várias outras novidades que estamos trazendo. Outro tópico importante nessa conferência é a questão da competitividade. Nós iremos promover debates sobre como tornar a energia mais barata para que possa competir no mercado internacional”, explica o coordenador do evento, Rafael Valverde.

A Bahia tem lugar de destaque na produção nacional de energia sustentável e segue impulsionando o segmento, que irá receber cerca de R$ 10 bilhões em investimentos até 2021. Para o secretário de Infraestrutura do Estado, Marcus Cavalcanti, o desenvolvimento na Bahia passa pela fortalecimento da área.

“Nosso estado é o líder nacional em potência instalada em geração de energia eólica e de energia solar. Temos uma potencialidade enorme de mercado e de produção, com capacidade de gerar quase o dobro de toda energia que é gerada hoje no Brasil. Potencializar esse segmento terá um impacto muito positivo em nossa economia”, afirma o secretário. A conferência é a maior já realizada na Bahia pelo setor energético.

Compartilhar