Por que Gabigol foi expulso após marcar dois gols na final da Libertadores

O relógio marcava 50 minutos do segundo tempo quando Gabigol foi expulso pelo árbitro chileno Roberto Tobar na final do último sábado (23). As imagens da TV ainda mostravam o cartão vermelho aplicado para o volante Ezequiel Palacios, do River Plate. A grande maioria do público no estádio observava a confusão. Herói do bicampeonato ao marcar dois gols na virada do Flamengo na final Libertadores deixou o campo revoltado. O que pouca gente soube foi o motivo da expulsão: o camisa 9 rubro-negro fez gestos obscenos para o banco e para a torcida adversária.

Logo após marcar seu segundo gol na partida, o atacante passou muito tempo comemorando e levou um cartão amarelo por tirar a camisa, em gesto que costuma repetir quando balança as redes em jogos importantes, mostrando seu nome e número para a torcida rubro-negra.

Na sequência do jogo, com o Flamengo segurando a vitória histórica no campo de ataque, Bruno Henrique foi atingido por Palacios em lance que gerou a expulsão do argentino e deu início a uma confusão. Na outra metade do gramado, Gabigol se dirigiu ao campo de defesa para beber água e sacudiu os órgãos genitais em direção a argentinos nas arquibancadas. Depois, repetiu o gesto também na direção de alguns atletas do River Plate, revoltando os “hermanos”.

O juiz principal, envolvido na confusão do outro lado do campo, não viu. Mas os auxiliares e o quarto árbitro sinalizaram. O chileno Roberto Tobar, então, lhe deu cartão vermelho direto. Na saída de campo, o jogador foi contido pela comissão técnica.

A figura de Gabigol exaltado pela polêmica não durou muito, no entanto. Bastou pouco mais de um minuto para que a exaltação fosse de alegria. Com o apito final, o atacante passou, então, a celebrar o sonhado título que ajudou a dar à torcida rubro-negra após 38 anos.

Fla fica em dúvida, mas Gabigol joga o Mundial

Em que pese toda felicidade pelo título histórico, o Flamengo se preocupava com Gabigol após a expulsão. A diretoria ainda não tinha uma resposta exata sobre quando o jogador deverá cumprir a suspensão. De acordo com os regulamentos consultados, o atacante cumprirá sua pena no próximo torneio da Conmebol: Recopa ou Libertadores 2020.

Parte da diretoria chegou a cogitar que ele desfalcasse a estreia do Mundial de Clubes a ser realizado nas próximas semanas, em Doha, mas não há a chance de Gabigol perder o primeiro jogo no Qatar.

Compartilhar