Bruno Reis aparece em reunião e vê com naturalidade formação de bloco

Bruno Reis aparentemente surpreendeu os presidentes dos partidos e o próprio presidente Geraldo Júnior (SD) ao comparecer ao almoço do MDB, PTB, PSC e SD

O vice-prefeito Bruno Reis (DEM) aparentemente surpreendeu os presidentes dos partidos e o próprio presidente Geraldo Júnior (SD) ao comparecer ao almoço do MDB, PTB, PSC e SD. Ele afirmou que ficou sabendo do encontro pela imprensa. “Fiquei sabendo da criação desse bloco pela imprensa, agora, há um tempo atrás eles já manifestavam o desejo de juntos, decidirem um possível candidato a prefeito ou a vice. Essa eleição é diferente de todas outras, visto que não pode mais a coligação proporcional. Então, cada partido tem que se estruturar para lançar candidaturas e todos os partidos têm essa preocupação”, declarou aos jornalistas.

Ele afirma que vê “como uma coisa natural” a formação do bloco. “Nesses momentos que antecedem as definições político-partidárias, que os partidos estejam conversando, dialogando e tentando tomar decisões em conjunto. O objetivo de todo dirigente partidário é buscar fortalecer o partido. Vejo isso como algo normal, estarei sempre aberto a dialogar seja com um, mais de um ou um bloco de partidos”.

No encontro, ele conversou com os jornalistas sobre diversos assuntos, entre eles a notícia de que o secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates (DEM), decidiu se filiar ao PDT. “Vejo de forma muito positiva”, opinou. “Isso amplia nossas possibilidades de entrar em outros segmentos e vai fortalecer mais a candidatura a prefeito do nosso grupo. Tem todo o meu apoio e, inclusive, está tendo a minha ajuda”, completou. Nos bastidores, especula-se que os dois possam fazer uma dobradinha na corrida eleitoral de 2020.

Sobre a defesa dos partidos de esquerda sobre a necessidade de dar força para uma candidatura negra, o vice-prefeito também se posicionou. Eu acho que para ser candidato é um conjunto de fatores, não é um único critério. “Sem sombras de dúvidas, o principal critério é fazer a cidade avançar. […] Nós estamos na cidade mais negra fora do continente africano, 80% da população é negra, a grande maioria é pobre e a gente pode falar que investimos mais de 76% dos recursos públicos nas áreas mais pobres da cidade. Então, temos condições de travar qualquer debate, estamos conscientes do trabalho que realizamos até aqui e do que podemos realizar no futuro”.

Bruno Reis também negou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) vai influenciar na eleição municipal. “Atores estaduais e nacionais vão influenciar pouco na eleição municipal. Isso ocorreu em outras eleições. Se você for analisar, o PT governou o país e o estado nas últimas quatro eleições foi derrotado em Salvador. Isso significa que pouco pesou o apoio desses líderes”.

Compartilhar