Vitória abre a sua maior vantagem para o Z4: quatro pontos

Para Geninho, equipe compensou prejuízo da derrota para o Londrina

Com o triunfo sobre a Ponte Preta neste domingo (27), o Vitória abriu a sua maior diferença para o Z4 desde o início da Série B. São quatro pontos de vantagem para o 17º colocado, algo que ainda não havia acontecido ao longo de 31 rodadas.

A maior diferença aberta pelo Leão para o Z4 até então havia sido na 29ª rodada, em que abriu três pontos. Agora, o rubro-negro tem 36. O Figueirense, 17º, tem 32.

O técnico Geninho destacou a importância desse resultado: “Importantíssimo. Viemos buscar aqui o prejuízo que tivemos ao perder para o Londrina em casa. Agora, ficamos chorando o resultado passado porque poderíamos estar muito perto do objetivo se tivéssemos tido duas vitórias”.

De fato, se tivesse vencido o Londrina, adversário direto, em casa, o Vitória estaria agora com 39 pontos. Nas contas de Geninho, são necessários 45 pontos para garantir a permanência.

O treinador também comentou uma novidade, a escalação de três zagueiros: “Viemos para cá com algumas dificuldades em termos de escalação, jogadores sentindo e outros que ficaram em Salvador. Acho que o time começou bem postado, trabalhando com os três zagueiros. A ideia era não deixar a Ponte entrar na área, forçando o jogo aéreo, o que facilitaria de marcar com os três zagueiros”.

Para o técnico, seu papel de ter ajeitado a formação do time após a expulsão de Leo Gomes teve menor importância do que a entrega dos atletas em campo para superar o homem a menos.

“Conseguimos ajeitar sem mexer ao trazer o Chiquinho para atuar como volante pela esquerda. Mas o mérito é todo do grupo, a vitória tem que ser creditada aos jogadores por todo o sacrifício que fizeram hoje num jogo difícil, diante de um adversário forte, e ficando com um a menos durante dois terços da partida”, disse.

Por fim, Geninho explicou o motivo de não ter entrado com Caicedo no intervalo: “Ele não tinha condição de jogar mais do que 20 minutos. Não era nem para vir, era para ficar lá. Mas ele é uma opção muito boa para isso, para buscar agredir no contra-ataque”.

Compartilhar