Defesa de Geddel pede que STF adie julgamento de ação dos R$ 51 milhões

Geddel está preso há dois anos no Presídio da Papuda, em Brasília

A defesa do ex-ministro Geddel Vieira Lima apresentou um novo pedido para que o Supremo Tribunal Federal (STF) adie o julgamento da ação penal referente ao caso do bunker de R$ 51 milhões, marcado para essa terça-feira (24) na Segunda Turma da Corte. A solicitação foi recebida na noite de sexta-feira passada e encaminhada neste domingo (22) pelo plantão do Supremo ao gabinete do relator do processo, ministro Edson Fachin.

Após o revisor da ação, ministro Celso de Mello, liberar os autos no último dia 16, Fachin pediu sua inclusão na pauta de julgamentos da Segunda Turma. Na quinta-feira, os advogados do ex-ministro protocolaram o primeiro pedido de adiamento, rejeitado por Fachin no mesmo dia.

Tentativas finais
Caso a tendência se mantenha no Supremo, o segundo requerimento deve ser negado, abrindo espaço para que os cinco ministros da turma comecem a decidir o futuro de Geddel, preso há dois anos no Presídio da Papuda, em Brasília, no rastro de um dos desdobramentos da Lava Jato. Além dele, também é réu no mesmo processo seu irmão, o ex-deputado federal Lucio Vieira Lima (MDB).

Compartilhar