Secretária comemora criação de grupo terapêutico para mães de crianças com microcefalia

Prefeito ACM Neto e a Secretária Taíssa Gama
Prefeito ACM Neto e a secretária Taíssa Gama

Em atendimento a um pedido de mães de crianças com microcefalia, a Secretaria de Política para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) montou um grupo terapêutico para fortalecer a autoestima delas, resgatar a autoconfiança e trabalhar o controle da ansiedade social.

A atividade acontece com uma psicóloga todas às terças-feiras, das 14h às 16h, no Centro de Referência de Atendimento à Mulher Loreta Valadares (CRAMLV). Mães que tenham interesse em fazer parte da turma devem ligar para o centro de referência e solicitar a vaga. Os números de contato são (71) 3235-4268 e 3611-6412. Não há prazo para o término do grupo terapêutico, que teve início no dia 19 de dezembro. O objetivo é agregar novas pessoas e encorajá-las a enfrentar os obstáculos do dia a dia.

PUBLICIDADE        

De acordo com a secretária de Política para Mulheres, Infância e Juventude, Taíssa Gama, o cuidado com crianças e adolescentes foi um pedido particular o prefeito ACM Neto ao coloca-la na pasta. “O prefeito pediu para termos uma atenção de perto com as crianças com microcefalia e de suas mães. Estou fazendo isso com muito carinho e atenção que elas merecem. 31 mães já vão receber casas do Minha Casa, Minha Vida, a matrícula nas escolas para essas crianças também já foram viabilizadas e agora, junto com o deputado federal Benito Gama, estamos tentando fazer um adendo na Lei do BPC para que essas mães possam receber os benefícios e também trabalhar.

Todos estão trabalhando em equipe para dar suporte a essas famílias”, disse a secretária. Desde 2015, quando teve início o surto de zika vírus entre mulheres grávidas, cresceu a demanda para tratamento das crianças que nasciam com microcefalia, através de acompanhamento com profissionais especializados como fisioterapeutas, neurologistas, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais. Para a SPMJ, além dos cuidados com as crianças, também é importante voltar o olhar para essas mães, que dedicam a vida ao outro, mas esquecem um pouco de si mesmas.

Compartilhar