Ônibus voltam a circular no bairro de São Gonçalo do Retiro, em Salvador

Serviço foi suspenso na terça-feira após prisão de chefe de facção.

Os ônibus voltaram a circular normalmente no bairro de São Gonçalo do Retiro, em Salvador, na manhã desta quarta-feira (11). A retomada do serviço ocorreu um dia após a disseminação de um suposto toque de recolher na localidade, após a prisão do homem apontado pela polícia como chefe de uma das maiores facções criminosas da Bahia e morte de um comparsa.

A informação de que os ônibus voltaram a circular no bairro foi confirmada pelo presidente vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários, Fábio Primo. Ele afirmou, na manhã desta quarta-feira, que a decisão foi tomada após garantia da polícia de que a segurança no bairro estaria reforçada.

PUBLICIDADE        

Por conta do clima tenso, na terça-feira, muitos comerciantes do bairro não abriram as portas dos estabelecimentos comerciais. Escolas da localidade também tiveram as aulas suspensas. Aproximadamente mil alunos ficaram sem aulas.

Enquanto os ônibus estavam sem rodar, os rodoviários faziam o final de linha dos coletivos no bairro Saboeiro.

Vinicius Barcellar foi apresentado durante coletiva na terça-feira (Foto: Itana Alencar/G1 )

Vinicius Barcellar foi apresentado durante coletiva na terça-feira (Foto: Itana Alencar/G1 )

Caso

Conforme a polícia, os criminosos que disseminaram o suposto toque de recolher teriam relações com Venicio Barcellar, conhecido como “Fofão”, preso durante uma operação em São Paulo, no dia 4 de outubro. Ele foi transferido para Salvador na manhã desta terça-feira.

“Fofão” chegou à sede da Coordenadoria de Operações Especiais da Polícia Civil da Bahia mancando, por conta de um ferimento provocado por um tiro de fuzil. A Polícia Civil diz que o traficante trocou tiros com militares antes da prisão. Momentos antes do confronto, também segundo a polícia, ele teria assaltado uma casa no Morumbi.

No momento da prisão em São Paulo, a policia diz que Fofão portava documentos falsos, uma pistola e um carro roubado. Além do tráfico de drogas, ele teria participação direta em homicídios e falsificação de documentos. A polícia o considera um criminoso de grande potencial ofensivo.

A prisão dele é um desdobramento da Operação Balão Mágico, iniciada no mês de agosto com o intuito de combater a facção criminosa liderada por ele. O suspeito, entretanto, nega que tenha envolvimento com o grupo.

De acordo com a polícia, “Fofão” faz parte da mesma quadrilha de Diego Ferreira Figueredo, o “Açúcar”, que foi morto junto com um comparsa na saída do aeroporto de Salvador, na segunda-feira (9), durante abordagem policial. “Açúcar” seria o braço direito de “Fofão”.

De acordo com a polícia, “Acúcar” e “Fofão” fugiram para São Paulo logo após a primeira etapa da Operação Balão Mágico. “Acúcar” decidiu voltar para Salvador após o comparsa ser preso na capital paulista, e havia acabado de desembarcar na capital baiana, na segunda-feira, quando foi interceptado pela polícia, no bambuzal localizado na saída do terminal aéreo.

Conforme a polícia, houve uma troca de tiros e o suspeito e um outro comparsa, que havia ido buscá-lo no aeroporto, foram baleados. A dupla chegou a ser socorrida e foi levada para o Hospital Menandro de Faria, em Lauro de Freitas, na região metropolitana, mas não resistiu aos ferimentos.

Compartilhar