Yoko Ono, viúva do ex-Beatle John Lennon, está processando Frederic Seaman, um ex-assistente que trabalhou com o músico por cerca de um ano e meio.

De acordo com a artista plástica, Seaman desobedeceu uma ordem judicial de não citar Lennon em suas entrevistas. Com isso, segundo ela, ele estaria lucrando com declarações sobre o cantor, com quem conviveu pouco antes de ser assassinato em 1980.

A artista diz que o ex-assistente concedeu uma entrevista de 23 minutos e falou bastante sobre a vida pessoal e profissional de John Lennon. A viúva entrou na justiça exigindo a quantia de 150 mil dólares, mais precisamente 846 mil reais, e solicitou que ele pare, de uma vez por todas, de falar sobre sua família.

Não é a primeira vez que Yoko acusa Seaman. Ele já foi parar na justiça por ter roubado diários e outros itens pessoais de Lennon.

Em 2002, nos tribunais, Seaman ofereceu um pedido formal de desculpas. “Eu errei e realmente sou culpado por quebrar sua confiança. Depois de mais de 20 anos, é o momento de pedir perdão pelos meus atos. É impossível desfazer o que já foi feito, mas isso para aqui e agora”, disse ele, na época.

Em seguida, no mês passado, Seaman voltou a falar de Lennon em uma entrevista.

Compartilhar