Uma mulher foi condenada à 21 anos de prisão na Bahia, suspeita de matar dois companheiros envenenados usando chumbinho. A decisão aconteceu por meio de júri popular na última terça-feira, 31, na cidade de Itabuna, no sul do estado. A defesa da mulher, que está presa há quatro anos, recorreu da decisão.

A condenação de Wane Brenda Oliveira, de 34 anos, é por apenas um dos casos. A primeira vítima teria sido Edvaldo Araújo Alves, de 40 anos, que morreu em abril de 2017. Ele namorou a condenada pelo período do um ano e teria sido envenenado após ela descobrir que ele pretendia encerrar o relacionamento.

Na ocasião, Wane socorreu Edvaldo para uma unidade de saúde Itabuna após ele começar a passar mal, mas ele não resistiu e morreu. Inicialmente, a morte foi atribuída a um infarto fulminante, mas após a suspeita de envenenamento, o corpo foi exumado um ano depois e as suspeitas foram confirmadas após exames do Departamento de Polícia Técnica (DPT).

De acordo com a polícia, meses após a morte de Edvaldo, Wane Brenda estava em um novo relacionamento com Evandro Bonfim de Souza, também de 40 anos, e que morreu em circunstâncias similares. Ainda não há audiência marcada para julgar a morte da segunda vítima.

Os casos ganharam repercussão na região e Wane Brenda passou a ser chamada de ‘Viúva negra’, em referência a espécie de aranha que mata os machos após o ato sexual.

Compartilhar