O Vitória até que tentou, mas não conseguiu sair do 0 a 0 com o Freipaulistano-SE, neste sábado, 16, no Barradão, pela quarta rodada da Copa do Nordeste. Foi o terceiro empate do Rubro-Negro na competição e o quarto do time principal em cinco jogos na temporada. O ponto somado deixa a equipe na terceira posição do Grupo B da competição regional.

No jogo deste sábado, os comandados de Geninho voltaram a esbarrar em problemas ofensivos e terminaram uma partida sem balançar as redes pela terceira vez em 2020. Por outro lado, a defesa mostrou segurança novamente e segue com bons números, já que só foi vazada uma vez na temporada.

Agora, o Leão ganha uma folga no calendário e só volta a campo depois do carnaval, dia 27, novamente no Barradão, contra o CRB.

O jogo

Depois de quatro partidas basicamente com o mesmo time, Geninho optou por fazer algumas mudanças na escalação que entrou em campo neste sábado. Os laterais Van e Thiago Carleto, o volante Gerson Magrão e o atacante Júnior Viçosa deram espaço para Jhonatan Bocão, Rafael Carioca, Rodrigo Andrade e Rodrigo Carioca jogarem. De acordo com o próprio treinador, era hora de fazer alguns testes.

A primeira mudança percebida com as trocas foi na questão da saída de jogo. Rodrigo Andrade revezava com Guilherme Rend e Fernando Neto nas tentativas de fazer o time chegar ao ataque com a bola trabalhada. Essa função não foi executada por Gerson Magrão nas partidas anteriores.

Outro ponto que ficou visível foram as bolas paradas. Sem Thiago Carleto, o Rubro-Negro perdeu uma importante arma ofensiva no jogo deste sábado. Ainda sobre os laterais, Bocão esteve bem participativo, mas abusou de errar cruzamentos e perdeu boas chances de ser melhor avaliado ao fim do jogo.

Em um desses lances, aos 27 minutos, Bocão fez boa tabela com Rodrigo Andrade e chegou até a linha de fundo com espaço. Mesmo com o passe errado a bola sobrou para Guilherme Rend, que tentou o chute da entrada da área e parou na defesa de Danilo.

O Vitória foi melhor durante os primeiros 45 minutos, mas só na reta final conseguiu transformar o domínio em oportunidades de gol. Rodrigo Carioca tentou duas vezes de fora da aréa, e seu xará Rodrigo Andrade perdeu uma chance ainda melhor. Ele ficou com o rebote do goleiro após chute de Vico, mas exagerou na força e mandou por cima do gol.

Segundo tempo

A pegada ofensiva seguiu no começo da segunda etapa. Aos cinco minutos, Vico e Bocão dialogaram pela direita, e o lateral enfim acertou um cruzamento. O problema dessa vez foi na conclusão de Rodrigo Andrade, que mandou a bola fora da direção do gol.

Do outro lado, os visitantes seguiam produzindo pouco ofensivamente. A aposta era sempre aproveitar um contra-ataque, mas as tentativas esbarravam em boas recomposições defensivas do Leão.

Lá na frente, os avanços de Jhonatan Bocão seguiam como principal arma rubro-negra. Aos 26, o lateral acertou novo cruzamento, dessa vez para Léo Ceará, que chutou de primeira, à direita do gol que nesse momento já era defendido por Giovani, porque Danilo deixou o campo com cãibras.

Antes do apito final, o Rubro-Negro ainda teve mais uma boa ocasião, criada pelo lado esquerdo do ataque. Matheus Tenório driblou o marcador, chegou na linha de fundo e rolou para Léo Ceará. O camisa 9 foi travado na hora do chute e depois mandou o rebote para fora.

E acabou ficando nisso mesmo. Nem os nove minutos de acréscimos foram suficientes para que as redes do Barradão fossem balançadas na partida deste domingo.

Compartilhar