Considerando os 20 times que disputam a Série A, o Vitória é o segundo que mais sofreu gols ao longo da temporada. E precisa correr atrás para não amargar o título de defesa mais vazada ao final do ano.

Evitar a marca pode ajudar o rubro-negro na principal missão do ano, de não cair para a Série B. Restam três jogos no Brasileiro e o Leão não pode mais perder – e não sofrer mais gols pode ajudar, e muito, neste objetivo.

Foram ao todo 89 gols sofridos pelo Vitória na temporada 2018, ao longo de 64 jogos. A média, portanto, é de 1,39 gols a cada partida.

O líder de gols sofridos em 2018 é o Vasco, que sofreu um a mais, 90. O detalhe é que os times têm a mesma quantidade de partidas na temporada, 64. Sendo assim, o cruzmaltino também é pior na média de gols: 1,40 por jogo.

A estatística do rubro-negro, porém, tem um asterisco. Não conta com os três gols cedidos ao Bahia através do regulamento no Ba-Vi do dia 18 de fevereiro, que acabou de maneira antecipada por número insuficiente de atletas do Vitória em campo. O placar decretado daquela partida foi de 3×0 para o tricolor.

Por outro lado, foi considerado o pênalti convertido por Vinícius naquele duelo, que em campo acabou empatado por 1×1. Na prática, portanto, o Vitória sofreu 89 gols no ano; na tabela, foram 91.

Na Série A, a defesa do Vitória é a mais vazada. Foram 57 gols sofridos em 35 rodadas, uma média de 1,62 por partida. A do Vasco é apenas a quinta pior do Brasileiro, com 47 tentos sofridos.

Vulnerável
Fora a Série A, o Leão disputou outros três campeonatos ao longo da temporada. No Baiano, levou um gol por partida: foram 13 tentos em 13 jogos – ou 15 gols, considerando o placar final do Ba-Vi de 18 de fevereiro.

Na Copa do Nordeste, a média foi maior. Os mesmos 13 gols sofridos, mas em oito jogos. Só o ABC, adversário da primeira fase, foi responsável por seis destes gols.

O único torneio em que o rubro-negro sofreu menos de um gol por partida foi a Copa do Brasil, com seis gols ao longo de oito jogos.

A instabilidade da defesa se refletiu nos goleiros: o Vitória teve cinco titulares da posição ao longo da temporada. Fernando Miguel começou o  ano. Na Série A, Caíque, Elias, Ronaldo e João Gabriel defenderam a meta.

O Vasco tem em sua defesa o fato de ter jogado competições de maior nível técnico. O cruzmaltino disputou a Libertadores – onde sofreu 14 gols em 10 jogos – e a Copa Sul-Americana – com três gols em dois jogos. Também participou do Carioca e da Copa do Brasil.

Para efeito de comparação regional, o Bahia, que fez 72 partidas na temporada 2018 – oito a mais que o Vitória, portanto – sofreu 64 gols. A média do tricolor é de menos de um tento por partida: 0,88.

Voltando à Série A, o Sport tem a segunda pior defesa do campeonato, com 54 gols sofridos. Na temporada, o número é de apenas 65. O Leão da Ilha disputou apenas três competições no ano e fez ao todo 50 jogos. A média é de 1,3 gol sofrido por jogo, menor que a do Vitória.

Compartilhar