Pode colocar mais um vexame na conta do Vitória nesta temporada. Nesta quarta-feira (27), jogando em casa, num duelo que parecia dominado, o Leão perdeu de virada para o Atlético de Alagoinhas por 2×1.

Andrigo abriu o placar aos 15 minutos do primeiro tempo. A partir daí e sobretudo na etapa final, o Carcará cresceu e passou a dominar o jogo.

Chamusca foi vaiado pelos poucos torcedores no Barradão porque, no segundo tempo, tirou dois atacantes para pôr um lateral e um volante.

Sábios torcedores: após as trocas, o Atlético virou com dois gols de João Neto – aquele mesmo, carrasco do Leão pelo Bahia de Feira em 2011 – aos 32 e aos 38 minutos.

Agora o Vitória está há cinco jogos sem vencer, e com duas derrotas. Num maior recorte, tem apenas um triunfo nos últimos oito jogos.

O Leão está em segundo lugar no Baiano, com 12 pontos. O Vitória terá uma semana para digerir o resultado. Por conta do Carnaval, só volta a campo na quinta-feira, dia 7, às 21h30, em casa, contra o Botafogo-PB, pelo Nordestão.

O jogo

Não foi um primeiro tempo de bom futebol, mas pelo menos teve emoção. Neto Baiano, em seu primeiro jogo como titular, assustou numa questão de segundos: entrou na área e chutou de perna direita para uma bela defesa de Diego.

O Leão mostrou repertório e dominou os 15 minutos iniciais. Aos 10, Matheus Rocha lançou Benítez na área, da ponta direita para a esquerda. O argentino apareceu nas cotas da zaga e desviou de primeira pela linha de fundo.

E aos 15, o time de Chamusca deu aula de contra-ataque. Após escanteio para o Atlético, a bola passou rapidamente por Erick, Léo Ceara e Matheus Rocha, que cruzou da direita achando Andrigo cara a cara com o gol: 1×0.

Após aquele domínio de 15 minutos, o Vitória mudou totalmente. Não conseguiu mais acionar nenhum dos três atacantes, principalmente Neto Baiano. Léo Ceará, de ponta, não conseguia produzir.

O Atlético cresceu. Aos 31, o maior susto: Edcarlos recuou na fogueira para Ronaldo, que deu a bola de graça para João Neto. Ele chutou e o goleiro rubro-negro operou um milagre. No rebote, o veterano tentou de novo e Thales salvou em cima da linha.

No segundo tempo, a passividade do Leão seguiu firme. A equipe passou a assistir o Carcará crescendo no jogo e ocupando o ataque.

Chamusca foi, aos poucos, fechando o time para resistir: tirou os atacantes Neto Baiano para pôr o lateral Juninho e Erick para colocar o volante Wesley Dias. Por isso, o técnico foi vaiado.

Sábios torcedores. As alterações só fizeram o Carcará crescer mais. Aos 32, Patrick recebeu na direita e cruzou na área. João Neto apareceu entre Matheus Rocha e Edcarlos e fez o de empate. 1×1.

E aos 38 veio o golpe. Após cobrança de escanteio, a zaga não conseguiu afastar e a bola ficou solta na área. João Neto, experiente, fez 2×1.

Compartilhar