As duas vítimas mortas na explosão da casa de venda de fogos de artifício, que também funcionava como fábrica clandestina em Crisópolis, a cerca de 212 km de Salvador, eram casadas. A filha do casal, uma adolescente de 13 anos, ficou ferida na explosão, ocorrida na quarta (14) e está internada em hospital de Salvador.

O proprietário do estabelecimento, identificado pelo prenome de Paulo, foi preso no mesmo dia. Informações iniciais também apontam que ele faz parte da mesma família, e seria pai de Ebervan Souza Reis, de 49 anos, que morreu no local.

Fernanda e Ebervan morreram na explosão da fábrica de fogos, em Crisópolis — Foto: Arquivo pessoal

Fernanda e Ebervan morreram na explosão da fábrica de fogos, em Crisópolis — Foto: Arquivo pessoal

Ebervan e a esposa, Fernanda Santana Batista, 35, ficaram desaparecidos depois do incidente e foram encontrados mortos sob os escombros. A filha do casal, Talia Batista Reis, está internada na ala de queimados do Hospital Geral do Estado (HGE). Não há detalhes do estado de saúde dela.

Além das duas vítimas mortas, outras três pessoas foram resgatadas dos escombros, mas com vida. No total, ao menos 10 pessoas ficaram feridas na explosão.

Compartilhar