Preso nesta quinta-feira (6) pela Polícia Federal, o secretário de Transportes do estado de São Paulo, Alexandre Baldy, votou contra a ex-presidente Dilma Rousseff em 2016 enquanto deputado federal.

Baldy responderá por corrupção, lavagem de dinheiro, peculato e organização criminosa.

Em 2016, ao votar pelo golpe contra Dilma, Alexandre Baldy disse: “Senhor presidente, – em referência ao então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha – momento histórico que vivo e que agradeço a Deus por ter a oportunidade de ajudar meu povo a limpar esse País de mazelas, corrupção e maus feitos”.

Compartilhar