Uma das questões mais controversas quando se fala em pandemia do Covid-19 é sobre a abertura do comércio. Em Salvador, o tema ganhou maior proporção após serem divulgadas as ações conjuntas da Prefeitura e Governo do Estado, visando retomar a abertura gradual do comércio na capital, e já se comenta em reabertura dos shoppings. A vereadora Aladilce (PCdoB) falou sobre a complexidade do assunto, balizando saúde e a economia.

“Essa possibilidade de abertura do shopping na semana que vem, precisa ser avaliada com cuidado, critério e responsabilidade”, opina Aladilce. “É uma posição difícil a ser tomada porque a situação é muito complexa. Entendo a situação dos comerciantes e empresários, mas é preciso debater levando em conta a situação sanitária. O momento de pandemia nos colocou numa crise sanitária como nunca vivenciada antes”, relata.

A edil, que tem a pauta da saúde como sua principal bandeira de luta, fala sobre a necessidade de protocolos bem elaborados para não pôr em risco a vida dos trabalhadores e da população em geral. “Depois de 120 dias de distanciamento, com tantas mortes e demora em chegar num platô na curva de infectados, precisamos ter muita responsabilidade. É necessário um passo seguro para não termos que voltar atrás em muitos passos.

Aladilce ainda demonstra preocupação num possível aumento de mortes, reiterando a necessidade de um estudo aprofundado sobre a retomada gradual. “Precisamos de um planejamento criterioso, para que não aconteça o mesmo que ocorreu em Feira de Santana onde, ao abrir o comércio, houve um crescimento exponencial da curva de infecção e mais mortes”, compara.

OUVIDORIA – Aladilce também é Ouvidora da Câmara Municipal, órgão que já realizou sete audiências virtuais para discutir as implicações da Covid-19 em Salvador, incluindo reuniões com lideranças de bairro e autoridades da saúde.  Na sessão da Câmara realizada ontem (14), ela pontuou a necessidade de se fazer uma sessão temática para colocar o tema em debate.

“Propus essa iniciativa para ouvir a população, reunindo autoridades sanitárias, infectologistas, epidemiologistas, e também os empresários, comerciantes e associação de shoppings. Precisamos ouvir a sociedade, os vereadores, numa escuta conjunta e ampla. Sobretudo, precisamos de união para enfrentar esse momento, o qual pede que um denominador comum seja encontrado, buscando uma saída que possibilite superar a crise instalada”, finaliza.

Compartilhar