O vereador de Itagibá, Lázaro Damascena Pires, conhecido como Inho Baiano (PCdoB), foi preso em sua cidade natal na noite de sexta-feira (26) após ser flagrado bebendo em um bar local e, em seguida, dirigir embriagado.

Na cidade de Itagibá há um decreto municipal que desautoriza a aglomerações e funcionamento de bares.

Em nota, a Polícia Militar da Bahia (PM-BA) diz que policiais flagraram o edil dirigindo um Gol na rua Dudu Correio, centro de Itagibá, quando fez a abordagem. Ao perceber a suposta embriaguez e constatar que ele descumpriu o isolamento social, encaminhou Inho Baiano para a delegacia. O vereador prestou depoimento e, em seguida, foi liberado.

‘Perseguição política’
Após a prisão, o vereador enviou nota ao site Giro em Ipiaú expondo a sua versão do fato. Segundo o comunicado, Inho foi vítima de perseguição política.

“Na última sexta-feira, por volta das 20h, quando retornava para casa, fui abordado por dois agentes da guarda municipal que, de forma lamentável e em total desacordo com os princípios e a conduta de seus colegas no município, agiram de forma truculenta e equivocada, com o porte ilegal de armas de fogo por um dos agentes, colocando em risco todas as pessoas presentes. Ali fui acusado indevidamente, e com um agravante pelo fato de estar reivindicando medidas efetivas de combate ao coronavírus”, comenta o vereador na nota.

Ele ainda destaca na nota: “Quero informar a comunidade que me conhece, sabe da forma comunicativa, amigável que trato a todos. Homem público, cuidadoso do nosso município e querido em toda região. Sempre abordo a todos com respeito e educação, e em momento algum usei de deboche ou desacato. Mas fiz reivindicações quanto à má gestão da pandemia por parte do município, principalmente por ver amigos sendo acometidos por esse vírus”.

Compartilhar