Valendo a ponta da tabela no Campeonato Baiano, o clássico Ba-Vi, realizado neste domingo, 1º, no Barradão, foi decidido no apagar das luzes. Apesar do equilíbrio no confronto, um gol de falta aos 49 minutos do 2º tempo levou o Leão a conhecer a primeira derrota na competição. O técnico da equipe de transição, Agnaldo Liz, em entrevista coletiva, falou sobre a preparação da equipe para o clássico, lamentou a derrota, mas pregou a recuperação para o próximo confronto do Rubro-Negro.

“Jogo que imaginávamos na intensidade. Duas equipes com a melhor pontuação, a gente sabia quem iria nos enfrentar. Trabalhamos as características deles e entramos preparados. Lamentamos a derrota, algo que dói, mas vamos levantar a cabeça e pensar no próximo resultado”, disse Agnaldo.

Sobre a postura do time, o treinador disse que manteve a maneira de jogar e avaliou a escolha por Matheus Tenório no meio campo. “Não mudei a forma de jogar, foi a mesma maneira. A característica do Geovani é igual a do Tenório, só mudou o lado. A estrutura se manteve a mesma, como contra o Atlético de Alagoinhas”, pontuou.

Agnaldo ainda afirmou que o Vitória teve chances de vencer o clássico, principalmente no 2º tempo. “Nossa ideia era fazer a pressão alta, trabalhamos bem isso e estudamos o adversário. Tivemos chances de matar o jogo mas não convertemos. Houve um segundo tempo mais contundente de nossa parte, mas isso não foi traduzido em gol e descuidamos no final”, concluiu.

A equipe de transição do Leão só volta a campo no dia 15, quando visita a Jacuipense, às 16h, no Estádio Eliel Martins, o Valfredão, em partida válida pela 7ª rodada do Baianão. Já o elenco principal joga nesta quinta-feira, 5, quando recebe o Lagarto, no Barradão, às 19h15, pela segunda fase da Copa do Brasil.

Compartilhar