Em um comunicado emitido pelo porta-voz da Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que fará uma ‘transição organizada’ para Joe Biden em 20 de janeiro.

“Embora eu discorde totalmente com o resultado da eleição e os fatos me confirmem, haverá uma transição organizada em 20 de janeiro”, disse o republicano.

“Eu sempre disse que continuaríamos nossa luta para garantir que apenas os votos legais fossem contados. Embora isso represente o fim do maior primeiro mandato da história presidencial, é apenas o começo de nossa luta para tornar a América Grande Novamente”, completou Trump.

A sessão do Congresso que certificou a vitória do democrata foi encerrada às 5h44min [de Brasília] desta quinta-feira (7), após o vice-presidente Mike Pence proclamar o resultado da eleição ocorrida em novembro.

Nos Estados Unidos, o vice-presidente também é o presidente do Senado. Com essa função, caberia a Pence decidir sob a condução da reunião que revisa a certificação dos votos.

“O anúncio do estado da votação pelo presidente do Senado será considerado uma declaração suficiente para as pessoas eleitas presidente e vice-presidente dos Estados Unidos para o mandato que começa no dia 20 de janeiro de 2021 e será inscrito junto à lista de votos nos jornais do Senado e da Câmara dos Representantes”, disse Pence após a contagem do Colégio Eleitoral, confirmando a vitória de Joe Biden e Kamala Harris.

Donald Trump criticou publicamente Mike Pence por não ter atuado para impedir a convenção no Capitólio. Para o atual presidente, seu vice “não teve a coragem de fazer o que deveria ter sido feito”.

“Mike Pence não teve a coragem de fazer o que deveria ser feito para proteger o nosso país e a nossa Constituição, dando aos estados a chance de certificar corretamente os fatos, não os fraudulentos e imprecisos aos quais eles estão sendo pedidos para certificar. Os Estados Unidos demandam a verdade”, declarou o mandatário em seu Twitter.

Compartilhar