O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, prometeu na segunda-feira (14) que qualquer ataque do Irã receberá uma resposta “1.000 vezes maior”.

A declaração foi feita após a divulgação de informações de que Teerã estaria planejando vingar o assassinato do general Qassem Soleimani, morto em um ataque americano em Bagdá, no Iraque, no início de janeiro.

De acordo com o site Politico, que cita fontes do governo americano sob a condição de anonimato, os serviços de inteligência suspeitam de um complô iraniano para matar a embaixadora americana na África do Sul, Lana Marks, antes das eleições presidenciais de novembro nos Estados Unidos.

Ainda segundo as fontes do Politico, a ameaça contra Lana Marks, uma pessoa próxima a Trump, tornou-se mais precisa nas últimas semanas.

“De acordo com informações da imprensa, o Irã poderia estar planejando um assassinato, ou outro ataque, contra os Estados Unidos em vingança pela morte do líder terrorista Soleimani. Qualquer ataque do Irã, de qualquer forma, contra os Estados Unidos será respondido com um ataque ao Irã que será 1.000 vezes maior em magnitude”, tuitou Trump.

Um porta-voz do ministério iraniano das Relações Exteriores afirmou que as informações sobre os planos de ataque contra a embaixadora são “falsas e sem fundamentos”. “São parte de métodos reiterados e podres para criar uma atmosfera anti-Irã no cenário internacional”, disse.

O secretário de Estado, Mike Pompeo, negou-se a comentar diretamente a ameaça, mas afirmou que leva a sério as informações.

“A República Islâmica do Irã está envolvida em esforços de assassinato ao redor do mundo. Assassinaram pessoas na Europa e em outras partes do mundo. Levamos as observações a sério”, disse Pompeo ao canal americano Fox News.

“Deixamos muito claro à República Islâmica do Irã que este tipo de atividade – atacar qualquer americano a qualquer momento e em qualquer lugar, seja um diplomata, um embaixador ou um dos membros do nosso serviço – é completamente inaceitável”, acrescentou.

Compartilhar