O cenário eleitoral em Lauro de Freitas, a quase seis meses das eleições, é de afunilamento de pré-candidaturas na oposição à prefeita Moema Gramacho (PT). Até o momento, além da petista, há três nomes na corrida pela principal cadeira do Executivo na cidade.

Entre os nomes, estão o da atual gestora de Lauro de Freitas, que está em seu terceiro mandato como prefeita da cidade, Moema Gramacho (PT), a deputada e ex-vice-prefeita Mirela Macedo (PSD), o ex-secretário municipal Mauro Cardim (PP) e o empresário Teobaldo Costa (DEM).

A pré-candidata Mirela Macedo (PSD), que eleita vice-prefeita ao lado de Moema em 2016 e deixou o cargo para ser deputada estadual em 2018, afirma que o PSD não caminha com o PT no município, e que as duas candidaturas serão desconectadas. Em entrevista ao Jornal A Tarde, a legisladora disse que tem buscado apoio para viabilizar sua pré-candidatura. “Desde que a gente fez o anúncio de que eu estava me colocando como pré-candidata, tenho conversado com vereadores, lideranças. Estamos fechando esse apoio”, apontou.

Filiado ao DEM desde início de fevereiro, Teobaldo deve ter como vice o ex-vereador Mateus Reis (Cidadania), que ficou em segundo lugar nas eleições para prefeito da cidade em 2016. Na ocasião, Reis disputou o cargo pelo PSDB e teve 40,65% dos votos válidos, ante 52,39% de Moema. O terceiro colocado no pleito foi Chico Franco (DEM), que obteve 6,96%.

No lançamento da sua pré-candidatura, Teobaldo disse que quer ter a gestão do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), como modelo. “Lauro de Freitas precisa de gestão com responsabilidade e resultado”, apontou.

O ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio, Serviços e Inovação Tecnológica de Lauro, Mauro Cardim, se encontra no PP, mas em conversa com a reportagem, afirmou que vai migrar para o MDB a convite do vereador e presidente da Câmara de Salvador, Geraldo Júnior. O motivo da mudança de partido é a declaração do deputado federal Cacá Leão (PP) de que a legenda pode passar a integrar a base da prefeita Moema.

“Historicamente, o PP de João Leão (presidente estadual do partido) sempre foi inimigo do grupo de Moema”, ressaltou Cardim, que disse ter se aproximado da pré-candidata Mirela Macedo para ouvir os projetos da pessedista para cidade. Ainda em entrevista o ex-secretário afirmou que já conversou com PTC, MDB, Patriota e PTB.

Gestão petista sob contestação

Crítico da atual gestão petista, o ex-secretário Mauro Cardim afirmou que tudo que há de infraestrutura na cidade foi realizado na época em que João Leão foi prefeito. “Tudo foi desenvolvido quando a cidade tinha 60 mil habitantes, hoje são cerca de 200 mil. Lauro de Freitas se tornou a cidade do improviso, a administração só faz obra depois que acontece algo, não faz de forma planejada”, disse.

Nos últimos anos, declarações como a de Cardim se tornaram recorrentes não somente no meio político, mas também entre os moradores. Entre as queixas, estão a falta de planejamento na cidade, ausência de obras de infraestrutura e a carência na iluminação pública.

Apoiador do pré-candidato Teobaldo, o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) não economizou nas críticas à gestão da petista durante o lançamento do no nome do correligionário na corrida pelo Executivo. “Ela recorre a coisas inaceitáveis e absurdas. Veio dizer que Salvador estava querendo tomar uma parte de Itinga. Isso é um absurdo, jamais, em nenhum momento, nem eu, nem nenhum vereador, nenhuma autoridade de Salvador se levantou para apresentar uma proposta absurda como essa. Ela vem aqui espalhar mentira, vem aqui disseminar o medo nas pessoas, porque é assim eu ela sabe trabalhar”, cutucou.

A reportagem tentou contato com a prefeita Moema Gramacho via assessoria de comunicação, mas não obteve resposta até o fechamento desta edição.

Compartilhar