As blitze de Lei Seca não serão mais exclusividade das noites soteropolitanas. Segundo a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), a fiscalização vai ocorrer em pontos estratégicos da cidade, durante todo o dia. O objetivo é garantir um trânsito ainda mais seguro para todos na capital baiana.

“Temos percebido que as presenças das nossas equipes nas ruas, combatendo abusos no trânsito, têm ajudado a reduzir a quantidade de acidentes na cidade. Por isso a nossa decisão de ampliar o combate a uma prática tão nociva, que é a combinação do álcool com direção”, afirma Fabrizzio Müller, superintendente da Transalvador. As blitzes de Lei Seca já aconteciam todas as noites na cidade, antes da ampliação.

Além de coibir o uso de álcool ao volante, os agentes da Transalvador estarão, também, atentos a outra norma de segurança: o uso do cinto no banco traseiro. Segundo o órgão, apesar de ser de uso obrigatório desde 1997, com o atual Código de Trânsito, o cinto de segurança ainda é negligenciado pelos passageiros, especialmente os que utilizam o banco de trás do veículo.

Operação
Desde 2013, as blitze da Lei Seca promovidas pela autarquia municipal passaram a ser diárias, buscando reduzir o número de acidentes causados pela mistura de álcool e direção. Entre 2013 e 2018, 219.240 condutores passaram pelas operações.

Desse total, cerca de 12% dos abordados (27.305) foram autuados por estarem dirigindo após terem consumido bebida alcoólica ou se recusado a passar pelo teste no etilômetro. Nesse mesmo período, a superintendência registrou uma redução de 53,8% o número de vítimas fatais em acidentes na capital baiana.

Compartilhar