O traficante que efetuou os disparos que provocaram a morte do policial militar Danilo Macedo de Oliveira, 34 anos, acabou morto em confronto com a polícia, na tarde de segunda-feira (22). O PM  foi atingido por disparo de arma de fogo, na cabeça, enquanto realizava rondas no Caminho 7, no bairro de Jardim Nova Esperança, na noite de 11 de junho e acabou morrendo uma semana depois no hospital.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que, a após levantamento da Força Tarefa que investiga morte de policiais, o autor foi localizado no bairro da Saúde. “Durante tentativa de prisão, ele reagiu atirando contra as equipes, repetindo o comportamento resistente do dia 11 de junho.Dessa vez ele terminou atingido, foi socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu”, informou a SSP, através de nota.

Com o homicida, que possuía passagens na polícia por tráfico, roubos e porte ilegal de arma de fogo, foram apreendidos um revólver calibre 38, munições, 100 pedras de crack, 89 trouxas de maconha, 30 pinos de cocaína, três celulares e 116 reais em espécie.Participaram da ação integrada equipes do CPRs-Central e BTS, DHPP, Rondesp Central, Draco, COOPM, CPE, 50ª CIPM e 18° BPM.

Morte do PM
Na ocasião, a Polícia Militar informou que a equipe da 50ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Sete de Abril) foi acionada para atender uma denúncia de tráfico de drogas no bairro de Jardim Nova Esperança, quando houve o ataque. Em nota, a PM infomou que diante da aproximação dos policiais, os suspeitos dispararam contra a equipe e um dos policiais acabou ferido. Ele foi socorrido para o Hospital São Rafael, onde passou por cirurgia. O quadro se agravou e o PM morreu na última quinta-feira (18).

O soldado Macedo era lotado no Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto) da 50ª CIPM.  O policial militar, que integrava o quadro da Polícia Militar da Bahia há 5 anos, deixa uma filha. Até o momento não foi definido pelos familiares o local e o horário do sepultamento.

Compartilhar