“Capitã de todos esses homens da morte”, “peste branca”, “tísica”. Estes são alguns dos nomes pelos quais a tuberculose já foi conhecida no passado. Embora esta enfermidade conviva com os homens desde a antiguidade, quando o médico alemão Robert Koch descobriu que a sua origem era uma bactéria, a Mycobacterium tuberculosis (ou bacilo de Koch), em 1882, ela era a causa de morte de 1 em cada 7 pessoas que viviam nos Estados Unidos e na Europa.

Hoje a comunidade científica festeja os resultados dos esforços para conter a doença no mundo, mas a OMS (Organização Mundial de Saúde), em 2018, estimou que 1,5 milhão de pessoas, em todo o globo, ainda morrem em decorrência da tuberculose.

Compartilhar