Tite recebeu a visita de dois ‘baianos’ nesta segunda-feira (17), véspera do duelo da Seleção Brasileira com a Venezuela na Fonte Nova, a partir das 21h30, pela segunda rodada da Copa América. Duas pessoas que, por sinal, ele conhece bem.

Pelo que disse em entrevista coletiva, o comandante do Brasil recebeu os técnicos de Bahia e Vitória, Roger Machado e Osmar Loss, no hotel da Seleção: “Quero fazer uma menção ao Roger e ao Osmar, que nos visitaram hoje na concentração. Também ao Marcelo Rospide (auxiliar de Loss). Profissionais a quem temos carinho e gratidão”.

Enquanto lateral esquerdo, Roger foi treinado por Tite no Grêmio, quando foram campeões da Copa do Brasil em 2001. Já Osmar Loss treinou o time sub-20 do Corinthians na mesma época em que o Timão era comandado por Tite.

O técnico da Seleção até citou Roger quando elogiou um dos seus jogadores. No caso o volante Arthur, que está recuperado de lesão e voltará ao time titular diante da Venezuela: “Como disse o Roger para mim, ‘ele é um atleta que encontra a saída da defesa’. É um jogador que encontra jogadores de frente”.

Quando perguntado sobre a expectativa de jogar diante da torcida baiana, que sempre recebeu bem a Seleção, o técnico mostrou entusiasmo: “Como ser humano a gente sempre cria uma expectativa positiva. Sim, claro que sim (sobre repetir boas atuações em Salvador). Mas temos que estar preparados em caso disso também não acontecer. A Bahia tem uma relação bonita, de apoio à Seleção”, completou.

O técnico também tentou comentar o baixo público que a Copa América tem recebido, mas não achou respostas: “Não sei. Estou tentando raciocinar, mas não sei. Acho que há um carinho pela Seleção, mas às vezes o apoio flutua de um lado ou do outro. Às vezes porque a torcida quer que o atleta do seu time seja convocado, ou tem a ver com o estádio onde o atleta joga ou tenha jogado antes… Depende, mas não sei explicar”.

Compartilhar