A TIM Participações (TIMP3), a Vivo (VIVT4) e a Claro formalizaram uma nova proposta pela unidade móvel da Oi (OIBR3;OIBR4), desta vez por um valor de R$ 16,5 bilhões. A Oi estabeleceu preço mínimo de R$ 15 bilhões por seus ativos móveis.

Vale destacar que, na semana passada, a Oi informou ter assinado exclusividade com a Highline, controlada da americana Digital Colony, para negociar a venda de sua área de telefonia móvel, após a companhia ter apresentado a melhor oferta.

De acordo com comunicado ao mercado da Telefônica Brasil (Vivo), a revisão da oferta vinculante reafirma o interesse da companhia em relação à aquisição dos ativos móveis do Grupo Oi, “bem como em contribuir com a continuidade do desenvolvimento da telefonia móvel no país, considerando a larga experiência global que possui no setor de telecomunicações e o profundo conhecimento do mercado brasileiro”.

Já a TIM afirmou que “considera que a oferta endereça as necessidades financeiras do Grupo Oi, de amplo conhecimento do mercado em geral, para que este possa implementar seu plano estratégico e atender seus credores, nos termos do Plano de Recuperação Judicial”, afirmou a companhia.

A Claro afirmou, também em comunicado, que a nova oferta “está em linha com a regulação vigente”.

De acordo com o Credit Suisse, a notícia é positiva para as empresas de telecomunicações e, se a oferta for aceita, aumenta as chances de TIM/Vivo/Claro levarem a área móvel da companhia. “O valor é atrativo para compradores e vendedores”, afirmam os analistas do banco suíço.

Compartilhar