O deputado federal Paulo Azi (DEM) disse ontem que acredita que o também deputado federal Irmão Lázaro (PSC) conseguirá ser o segundo candidato ao Senado na chapa de José Ronaldo (DEM). Atualmente, as negociações continuam indefinidas, uma vez que o pré-candidato à Câmara Alta, Jutahy Magalhães Jr. (PSDB), tenta obstruir a indicação. “Tenho absoluta certeza que Lázaro vai compor a majoritária, pois detém um capital político considerável que será de suma importância para o enfrentamento que vamos fazer”, afirmou Azi em entrevista à rádio Metrópole, ontem.

O democrata também comentou o cenário nacional. Segundo ele, o próximo presidente da República não pode ficar preso a corporativismos. “Você tem o PT, tem o Bolsonaro, que não cabem no momento do Brasil. O Brasil vai precisar de um homem ou uma mulher que tenha capacidade de diálogo. O Brasil tem mais de 13 milhões de desempregados, 32 milhões vivendo na informalidade, 63 milhões de endividados que acompanham a mortalidade infantil, que voltou a crescer. Desafios enormes em um país que tem uma máquina pública que consome toda a receita da União”, avaliou, acrescentando que o presidente Michel Temer (MDB) se fragilizou com as denúncias das quais foi alvo:

“Ele [Temer] perdeu naquele momento o resto de credibilidade que tinha. Eu dizia naquela época, mesmo sabendo que aquilo depois poderia ter sido armado por setores, que foi uma conversa imprópria para um presidente da República. Não podia jamais ter tido uma conversa daquele tipo”.

Compartilhar