Por Eduardo Dias e Perla Ribeiro – Correio da Bahia

A Associação Geral de Taxistas (AGT) começou a fazer uma enquete com os quase 7 mil profissionais que atuam em Salvador para decidir se a categoria vai reajustar o valor das bandeiras em janeiro, data base de aumento do serviço. A estimativa do presidente da associação, Denis Paim, é de conseguir, pelo menos, 6 mil assinaturas. A enquete, que começou a ser realizada na quarta-feira (20), deve ser concluída no dia 10 de dezembro.

No entanto, segundo Paim, a categoria já sinaliza ser contrária ao aumento de preço da bandeira, por conta da concorrência com os preços cobrados pelos aplicativos de transporte.

“Por lei, o reajuste deve ser aplicado no dia 1 de janeiro, mas para isso, a categoria precisa se pronunciar. Mas acredito que não vai ter o reajuste não, porque a maioria dos taxistas não quer”, explica.

Procurado, o secretário de Mobilidade Urbana de Salvador, Fábio Mota, informou que o reajuste só é aplicado se o sindicato procurar a pasta para formalizar o aumento da tarifa.

Bandeira 2
Ainda segundo o presidente da AGT, outra decisão tomada pela associação é de que, a cobrança da bandeira 2 em qualquer horário, que tradicionalmente ocorria no mês de dezembro, será facultativa.

“Deixamos o taxista livre para só instituir a bandeira dois em qualquer horário, se ele quiser”, informou, acrescentando que desde que a concorrência ficou mais acirrada, com a chegada dos aplicativos de transporte, a categoria tem decidido por manter facultativo o uso da bandeira 2 em qualquer horário no mês de dezembro.

Em nota, o porta-voz da Comissão dos Taxistas da Bahia, João Adorno, informou que, em virtude da situação econômica que o país passa, o uso da bandeira dois em dezembro passará a ser de forma facultativa por parte dos taxistas, ou seja, cada motorista irá optar por rodar na bandeira 1 ou na 2.

Ainda segundo a nota, o porta-voz ressalta que o uso da bandeira dois no mês de dezembro é algo previsto na lei nº 9.283/17, na qual determina dias e horários para uso.

“Esperamos poder aproximar nossos profissionais daqueles cidadãos que usam e gostam de andar no transporte seguro, barato e acessível. Sugerimos que usem o táxi pois certamente os App’s de carros particulares estarão com preços altíssimos e nós gostaríamos de ser como sempre fomos, a escolha certa”, conclui a nota.

Compartilhar