Quando procurava atendimento nesta segunda-feira, 9, no pronto-socorro do Hospital Menandro de Faria (em Lauro de Freitas), foi preso Jackson Bandeira Pinheiro, 19, investigado pela morte de um policial militar no domingo, 8, durante um assalto em Jauá.

Jackson teria sido baleado pela própria vítima, que bebia com amigos num bar.

O crime contra o sargento da PM Jackson Luiz Pereira da Silva, 54, ocorreu na rua Direta de Jauá. O assaltante entrou no bar acompanhado por dois adolescentes por volta das 21h.

“O bandido mandou todo mundo entrar no bar, e, nesse momento, o sargento reagiu e acertou um tiro na região da cintura do ladrão. Mas ele conseguiu realizar quatro disparos contra o policial”, disse a titular da 26ª Delegacia Territorial (Vila de Abrantes), Maria Danielle Monteiro.

Jackson Bandeira e um jovem de 16 anos, que confessou ter participado do assalto, foram presos de madrugada. O segundo adolescente é procurado.

“O menor confessou participação no crime. Contou que saiu para roubar e a primeira ação foi o assalto ao bar”, diz a delegada. Os bandidos chegaram e fugiram num Honda Fit cinza  placa JPR-8967.

O veículo possui restrição de roubo e foi encontrado no bairro de Portão, em Lauro de Freitas. De acordo com a delegada, Jackson já foi preso por tráfico de drogas em janeiro e  ganhou liberdade há puco mais de um mês.

Os outros dois adolescentes são de Vila de Abrantes. O sargento era  do 12º BPM (Camaçari) e morava em Jauá.

Segundo o comandante do batalhão, Adailton Piton, o PM deu entrada na aposentadoria e aguardava a confirmação para depois da Copa do Mundo. Seu corpo foi sepultado em Alagoinhas. Ele deixou mulher e três filhos. Amigos de Jauá fretaram  dois ônibus para ir sepultamento do policial militar.

Compartilhar