O cantor e deputado Igor Kannário pediu uma vaia para a Polícia Militar da Bahia na tarde desta segunda-feira (24), quando puxava sua pipoca no Campo Grande.

“Peço à imprensa, filma isso aí. Isso é abuso de poder, aubuso de autoridade. Quero uma vaia para a Polícia Militar da Bahia”, afirmou, sendo atendido. Os foliões vaiaram e depois gritaram “Uh, é o Kannário”. “Agressores, agressores! Venha me bater aqui em cima. Quero ver!”, provocou.

Depois, ele retomou a música Embrazando, mas um pouco à frente Kannário falou que a PM pode fazer algo contra ele. “Se acontecer alguma coisa comigo, quem mandou me matar foi alguém da Polícia Militar”, acrescentou.

Assista:

Procurada, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) não quis comentar as declarações do parlamentar.

Em outros momentos do desfile, ele pediu para a imprensa filmar cenas e também para os foliões “abrirem” para a PM passar. “Abre aí para esses bunda-mole passarem”. Também pediu que o público ajudasse uma gestante que passava mal a conseguir passagem.

Mais cedo, a pipoca do cantor teve que ser interrompida. Ao todo, o trio ficou cerca de 20 minutos parado, retomando às 16h25. “A gente vai esperar o Mudança do Garcia adiantar o lado. O que eu quero é cantar mas não tem como cantar parado”, afirmou.

Compartilhar