A cantora Simone, da dupla com Simaria, confessou que já partiu pra cima de uma mulher que estava dando em cima de seu marido, Kaká Diniz. Em um vídeo postado ontem em seu canal do YouTube, a coleguinha disse não é ciumenta e nem chega nesse ponto de irritação com facilidade.

“Na verdade, eu não sou ciumenta, eu sou muito tranquila”, disse Simone. “Agora, se eu ver que a marreta tá caindo do cabo, aí eu rodo a baiana”, explicou ao responder a pergunta de um fã que queria saber se ela é ciumenta.

O canal no YouTube da coleguinha já passa dos 745 mil inscritos e o vídeo bateu as 191 mil visualizações até a publicação desse texto.

Ela contou uma história de quando estava grávida de 5 meses de Henry, que hoje tem 5 anos, e estava fazendo um show. Durante a apresentação, Kaká estava sentado no canto do palco e uma fã teria começado a se assanhar com ele.

“Tinha uma mulher lá embaixo que não parava, ficava chamando o Kaká. Não satisfeita porque o Kaká não olhou para ela, ela subiu no palco e foi pra cima dele”, relatou. “Ela não estava só querendo dar oi, ela estava paquerando ele”, defendeu.

“Quando ela veio na direção dele, eu estava cantando na hora, tirei o microfone e fui pra cima dela”, contou. “Na hora que eu fui pra cima dela, meu segurança veio junto. E eu disse: ‘Desce, sua rapariga'”. O segurança retirou ela”.

“Mulher buchuda de 5 meses é complicado, brother. Eu fiquei louca”, disse.

Curso para casais

No vídeo, Simone, casada há 7 anos, conta que fez cursos sobre relacionamento ao longo no início de sua relação com Kaká. Perguntada se as pessoas casadas devem aguentar tudo em nome do matrimônio, a cantora defendeu que os casais precisam se preparar para enfrentar as dificuldades de um casamento.

“As pessoas estudam pra tudo, pra ser médico, pra ser advogado, mas casamento o povo só entra e vai, no dia a dia, vendo no que vai dar. Mas hoje em dia tem cursos maravilhosos para relacionamento que dão uma direção legal”, contou.

“É bom porque a gente começa a entender que um é sal, o outro é pimenta e os dois se completam. Se eu não tivesse feito esses cursos lá atrás, quando casei com Kaká, a gente não estaria junto hoje”, confessou.

“Hoje em dia as pessoas acabam se casando no impulso, na agonia. ‘Ah, vou casar. Se não der certo, separa'”, defendeu. “Está errado porque quando você vai escolher uma pessoa para dividir a vida inteira, você tem que saber com quem você está casando”, explicou.

Em caso de adultério, ela indica que o casamento termine mesmo, sem conversas. “Você tem toda a liberdade do mundo para dar um pé na bunda dele e ser livre”, falou.

“Agora, se for problema de tampa de pasta de dente, toalha jogada na cama, eu acho que vocês precisam procurar uma terapia de casal para ver se conserta”, aconselhou. “Se não der, manda ele pra p*** logo”, brincou.

Compartilhar