A demora de Guilherme Bellintani em se posicionar sobre a eleição de 2020 em Salvador já gera desconforto na base do governador Rui Costa (PT). Lideranças aliadas ao Palácio de Ondina ouvidas pela reportagem revelaram o clima de insatisfação nos bastidores. Muitos partidos, inclusive, já entendem que a sinalização pode não avançar e já estão se movimentando para lançar candidaturas próprias.

O presidente do Esporte Clube Bahia negocia o passe atualmente com o PSB e o PDT, que também já ventilam os nomes de Lídice da Mata e Leo Prates como pré-candidatos. Entretanto, petistas mais aguerridos avaliam que ele não vai conseguir apoio estando fora da sigla. Também integrantes da base, os deputados federais Pastor Sargento Isidório e Bacelar anunciaram que sairão pelo Avante e pelo Podemos, respectivamente – e com a possibilidade de uma dobradinha entre si. O PP lançou o nome do deputado estadual Niltinho.

Até então, Bellintani aparece como uma das principais apostas do governador Rui Costa para 2020. O chefe do executivo estadual defende o lançamento de um nome que seja competitivo, para fazer frente ao candidato apoiado pelo prefeito ACM Neto (DEM) – que provavelmente será Bruno Reis.

Bellintani também tem se esquivado do assunto ao ser questionado em entrevistas. Inclusive, ao longo de 2019, ele chegou a impor a condição de não falar sobre política ao ser convidado para participações em alguns programas de TV e rádio. “Ele precisa se decidir. Está todo mundo colocando o nome na rua”, revelou um petista, em condição de anonimato. Um deputado estadual de um partido da base também confirma a insatisfação. “Está todo mundo pressionando”, afirma.

LULA NO JOGO

O ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, declarou que a visita do ex-presidente Lula em Salvador fortaleceu a tese da candidatura própria do PT na capital. O partido atualmente vive um racha interno entre os que defendem um nome próprio, preferencialmente negro, e o apoio a outro candidato mais competitivo de outra legenda.

“A decisão do diretório municipal de construir uma candidatura própria do PT e a vinda de Lula reforçam a tese”, avaliou Gabrielli, que ressaltou a questão racial no debate. “Acho que o PT tem hoje vários pré-candidatos em disputa e há uma clara ênfase nas questões raciais que caracterizam essa cidade, predominantemente negra. Uma cidade que nunca teve nenhum prefeito negro”, completou.

Ainda para a reportagem, Gabrielli disse desconhecer os rumores que dão conta de que Lula deu o aval para Guilherme Bellintani, presidente do Esporte Clube Bahia, seja o candidato apoiado pelo governador Rui Costa (PT) no próximo pleito. Ontem, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi ao Twitter para defender o PT (Partido dos Trabalhadores) e dizer que Jair Bolsonaro (sem partido) tem “ojeriza à democracia”. Lula publicou a mensagem horas depois de o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmar não ser possível se assustar com a ideia de alguém pedir o AI-5 diante de uma eventual radicalização dos protestos no Brasil – outros políticos também se revoltaram com a declaração.

“Vamos deixar uma coisa clara: se existe um partido identificado com a democracia no Brasil é o Partido dos Trabalhadores. O PT nasceu lutando pela liberdade e governou democraticamente. Não fomos nós que elegemos um candidato que tem ojeriza à democracia”, afirmou o ex-presidente.

Compartilhar