São Cristóvão é o campeão em número de multas por infração por desrespeito aos ciclistas, com 93. O bairro foi o que mais teve registros este ano de motoristas que invadiram ciclofaixas e transitaram ou estacionaram nos locais demarcados.

Os locais com mais infrações foram a Praça Gago Coutinho, com 40 multas aplicadas, seguido da Avenida Tenente Frederico Gustavo dos Santos, com 39, e da Alameda homônima, com 14.

Só este ano, de janeiro a agosto, a Transalvador já distribuiu 194 multas para quem transita na via destinada aos ciclistas. O número apresenta uma redução se comparado com o mesmo período no ano passado, quando houve 395 infrações. A queda é explicada pela redução no número de carros na rua, por causa da pandemia do novo coronavírus.

Em 2020, o órgão também emitiu 175 notificações por estacionamento em ciclovias e ciclofaixas – de janeiro a agosto do ano passado, foram 198. As vias com maior registro desse tipo de infração foram a Avenida Almirante Marques de Leão, na Barra (18), a Avenida Sete de Setembro (14) e a Rua das Dálias (7).

Já no ano passado, os locais com mais motoristas punidos por trafegar em ciclovia e ciclofaixa foram a Avenida Magalhães Neto (94), a Avenida Jequitaia (25) e a Praça Gago Coutinho (23). No mesmo ano, a infração por estacionar em espaço dedicado aos ciclistas foi mais recorrente na Avenida ACM (27), na Avenida Almirante Marques de Leão (18) e na Praça Gago Coutinho (14).

Transitar com o veículo em ciclovias ou ciclofaixas é considerado infração gravíssima pelo Código de Trânsito Brasileiro e gera uma multa de R$ 880,41, além da perda de sete pontos na carteira. Já o estacionamento sobre ciclofaixas e ciclovias é infração grave, com multa de R$ 195,23 e perda de cinco pontos na carteira.

O número de mortes por acidentes envolvendo bicicletas esse ano reduziu quase pela metade em relação a 2019. Esse ano, foram registrados 50 acidentes do tipo pela Transalvador, com quatro vítimas fatais. Em 2019, houve 94 acidentes, também com quatro mortos.

Rede cicloviária
Atualmente, Salvador conta com 280,35 km de rede cicloviária implantada, sendo 224,25 km construídas pela prefeitura e 56,1 km pelo governo do Estado. No ano passado, eram 252,75 km de rede cicloviária, enquanto em 2013 eram apenas 37,9 km. Essa expansão continua até o final de 2020.

A maioria das obras de melhorias viárias tem dado atenção especial ao ciclista. As implantações mais recentes de ciclovias, ciclorrotas e ciclofaixas foram na Avenida Cônego Pereira (região das Sete Portas), que foi totalmente requalificada e entregue em agosto, e na Rua Carlos Gomes.

Compartilhar