Por Rodrigo Daniel Silva

Apesar do número crescente de casos de coronavírus em Salvador, o prefeito ACM Neto (DEM) assegurou que a capital baiana ainda não vive uma “situação de pré-colapso”. Outros lugares do país, como Manaus, estão à beira do colapso, segundo os próprios governantes. Ontem, Neto afirmou que as medidas restritivas adotadas na cidade evitaram, até o momento, uma disseminação maior da doença.

“Graças a Deus, a gente tem conseguido um número na cidade de Salvador que está muito abaixo do que havia sido projetado. Não estamos vivendo uma situação de pré-colapso, de maneira alguma. Estamos conseguindo segurar o crescimento da curva e enquanto isso estamos preparando toda a rede assistencial. Mas não podemos baixar a guarda, esmorecer. Pelo contrário, a prefeitura não cogita a suspensão de nenhuma restrição que fez. Vamos ampliar a exigência”, ressaltou. O prefeito soteropolitano declarou ainda que vai obrigar todos os funcionários de agências bancárias a usarem máscara, como mais uma medida para evitar a propagação do coronavírus.

“Agora, é preciso que cada cidadão tenha conhecimento do seu papel. É preciso que cada pessoa saiba que só vamos vencer o coronavírus se ela dê sua contribuição. A gente reforça o apelo para que as pessoas não fiquem nas ruas. Agora, eu não posso colocar uma faca no pescoço de ninguém dizendo ‘fique em casa’. No caso de Salvador, não chegamos ao pico. Ainda estamos caminhando para o pico. E não há como definir se o pico vai ser daqui a três semanas ou um mês”, salientou.

Neto descartou lockdown (bloqueio total da movimentação) em Salvador. “Nenhum protocolo, nenhuma análise técnica sugere lockdown. Desde o começo tenho procurado embasar minha decisão sempre em opinião científica, técnica. Se houver mais adiante essa necessidade, ela será conversada com o governador do Estado (Rui Costa). Um decreto como esse precisa ser do governo, que tem o poder de polícia para obrigar a todas as pessoas ficarem em casa”, salientou.

O prefeito voltou a criticar a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que tem se manifestado contra o isolamento social. “Não tenha dúvida de que o posicionamento do presidente, as atitudes dele não são as mais exemplares neste processo. Só que, na minha opinião, como existem autoridades que estão recomendando no sentido certo, as pessoas estão mais sensíveis à recomendação destas autoridades do que do presidente. Tanto que nenhum governador nem prefeito de capital voltou atrás nas medidas de restrições que tinham em função do desejo do presidente da República. É o melhor exemplo? Não. O ideal era que o presidente estivesse na mesma linha que nós estamos pregando o isolamento”, pontuou.

Presidente nacional do DEM, Neto descartou expulsar Onyx Lorenzoni do partido após o ministro aparecer, em uma conversa vazada, conspirando  com Osmar Terra (MDB) contra o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM). “Desde o dia que aconteceu o episódio venho dizendo que o momento agora é de concentrar a nossa energia no enfrentamento ao novo coronavírus. Somos uma família e, sobretudo, temos quadros muito maduros (no Democratas). Esse é um assunto que não merece gastar energia. Ninguém está cogitando (demissão)”, ressaltou.

Compartilhar