Salvador está na briga para sediar a Copa América de basquete masculino de 2022, que terá o Brasil como país anfitrião após 37 anos. Ao todo, treze cidades de oito estados, além do Distrito Federal, se candidataram para receber as 12 seleções do torneio. A definição dos quatro locais escolhidos acontece no final da próxima semana.

Após quase dois meses de visitas técnicas, a organização fechou a lista dos concorrentes. Além de Salvador, estão cotadas as cidades de Recife, Goiânia, Vitória, Rio de Janeiro, Brasília, Uberlândia, Ipatinga, São José dos Campos, Franca, São Bernardo do Campo, São José do Rio Preto e Canoas.

A Copa América acontecerá entre os dias 3 a 11 de setembro de 2022, com a participação de Brasil, Argentina, Estados Unidos, Canadá, México, República Dominicana, Porto Rico, Venezuela, Uruguai, Panamá, Ilhas Virgens e Colômbia.

“A AmeriCup (Copa América) de 2022 será um sucesso, não tenho a menor dúvida. E a grande procura por parte das cidades brasileiras para receber o evento, de Norte a Sul do país, mostra a força do basquete. Tenho certeza que as quatro que forem escolhidas, ajudarão nós, brasileiros, a entregar um grande evento para as Américas”, disse o presidente da Confederação Brasileira de Basketball (CBB), Guy Peixoto Jr.

A última vez que o Brasil recebeu a competição foi em 1984, quando ficou com o título em cima de Porto Rico, em São Paulo. Coincidentemente, a última conquista do país torneio veio em 2009, quando os porto-riquenhos foram sede.

A vinda da Copa América para o Brasil tem relação com o trabalho da entidade de olho no ciclo olímpico de Paris-2024, quando o basquete nacional buscará a classificação para retornar aos Jogos. A organização é uma parceria da CBB com a empresa de marketing esportivo do jogador Daniel Alves.

“Fizemos as visitas técnicas em todas as cidades que se interessaram em receber a AmeriCup e até o fim da próxima semana teremos tudo fechado para anunciar as quatro sedes do torneio. A partir daí, daremos um passo importante para, com praticamente um ano de antecedência, nos organizarmos para entregar um evento de excelência”, disse Maurício Santos, diretor executivo da Copa América no Brasil.

Compartilhar