A partida do Brasil contra o México pelas oitavas de final da Copa do Mundo que acontece na próxima segunda-feira (2) alterará a programação da mais importante data cívica do estado: o Dois de Julho.

A Fundação Gregório de Mattos, órgão da prefeitura municipal de Salvador, informou que por conta da possibilidade do jogo já havia feito modificações na programação.

A principal delas é que o carro dos caboclos, que normalmente saem de dentro do barracão, este ano já estará no lado de fora e na pista principal para agilizar o fluxo do desflile.

A FGM não tem registro sobre se essa é a primeira vez da história que acontece isso, mas pelo menos desde 2013 essa é a primeira vez que acontece.

Circuito dos festejos do Dois de Julho 2018 – trajeto não será alterado  (Foto: Divulgação)

A programação também foi antecipada em uma hora e, segundo estimativa da FGM a estimativa é que todo o cortejo seja encerrado por volta de 10h30 – cerca de 30 minutos antes do início da partida. Normalmente, o cortejo finaliza por volta das 13h.

No dia 2 de julho o primeiro comento será a alvorada com queima de fogos na Lapinha, às 6h, que abre a programação da data. Às 6h30, tem inicio a celebração religiosa do Te Deum que, este ano, vai homenagear a arquiteta e historiadora Socorro Martinez, autora do livro 2 de Julho: a Festa é Historia.

Às 7h30, acontece o hasteamento das bandeiras por autoridades, com a execução do Hino Nacional pela banda de música da Marinha do Brasil, com a presença do Governador da Bahia, Rui Costa, do Deputado Estadual Ângelo Coronel – Presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, do Prefeito de Salvador Antônio Carlos Magalhães Neto e do Presidente do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB), Eduardo Morais de Castro.

Em seguida, acontece a Colocação de Flores no monumento ao General Labatut pelo Governador, Prefeito, Presidente da Assembleia, Presidente da Câmara de Vereadores de Salvador e Comandantes Militares e na sequência os carros emblemáticos do Caboclo e da Cabocla serão entregues pelo presidente do IGHB, para que desfilem pelas ruas do bairro da Liberdade, Santo Antônio Além do Carmo, Pelourinho e Avenida Sete de Setembro em direção ao Largo Dois de Julho (Campo Grande). O cortejo cívico que acompanha os carros do caboclo e da cabocla sai da Lapinha e finaliza no Terreiro de Jesus.

O 195º ano de comemorações do Dois de Julho será finalizado por volta das 17h, no Campo Grande, em ato simbólico de hasteamento das bandeiras do Brasil, Bahia e Salvador, colocação de coroas de flores no monumento ao 2 de julho pelas autoridades presentes e acendimento da Pira do Fogo Simbólico pelo pugilista Acelino “Popó” Freitas.

O dia 2 de julho será celebrado também com diversas atrações culturais. Uma delas é o XXVI Encontro de Filarmônicas sob regência do Maestro Fred Dantas, que ocorrerá das 17h30 às 21h30 da segunda-feira (02), no Campo Grande. Também no Campo Grande, na terça-feira (03), o público vai poder participar do Baile da Independência com a Orquestra do Maestro Fred Dantas, das 18h às 21h30.

Excepcionalmente numa quarta-feira (04), às 18h, o Espaço Cultural da Barroquinha apresenta o décimo quarto encontro da série Patrimônio É…, roda de conversa mensal sobre educação patrimonial que, desta vez, será dedicada especialmente à data magna da Bahia, com o tema Rotas da Independência. As celebrações serão encerradas às 18h30 do dia 5 de julho com a volta dos Carros Emblemáticos à Lapinha. O ato contará com a participação da orquestra do maestro Reginaldo de Xangô, Fanfarras e Grupos Culturais.

A programação das datas que marcam as lutas pela independência do Brasil na Bahia tem início no próximo dia 30 (sábado), com a saída do Fogo Simbólico da Cidade de Cachoeira, passando pelas cidades de Saubara, Santo Amaro da Purificação, São Francisco do Conde, Candeias, Simões Filho, com destino ao bairro de Pirajá em Salvador, conduzido pelos Soldados do Exercito e Atletas Baianos. O município de Cachoeira, ponto de partida da chama, teve extrema importância na luta pela libertação, por ter rompido com a Coroa Portuguesa em 25 de junho de 1822 e ter se tornado quartel general das tropas libertadoras que lutaram na Bahia contra a esquadra de Portugal.

No dia 1º  (domingo), os atos comemorativos começam às 16h, com a chegada do fogo simbólico ao bairro de Pirajá. No mesmo horário, haverá o acendimento da Pira, no Largo de Pirajá, o hasteamento das bandeiras por autoridades e a colocação de flores no túmulo do General Labatut.

Compartilhar