O governador Rui Costa (PT) prometeu, ontem, concluir a montagem da nova equipe de governo até o final deste mês. Segundo ele, as conversas com os aliados para definir os nomes que vão ocupar as quatro secretarias ainda indefinidas e os órgãos do segundo escalão serão encerradas nesta semana. Ontem, o chefe do Palácio de Ondina afirmou que tem conseguido conciliar na formatação do novo governo o perfil técnico com o político. “O secretário tem que ter os dois pensamentos. Não abra mão, em hipótese nenhuma, do viés técnico. Agora, tem que ter alguma noção de como se relacionar com prefeitos e deputados. Nós estamos juntando os dois perfis”, declarou, durante o programa Papo Correria, que é transmitido pelas redes sociais do governador. Apesar do desejo do PP de ficar com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Rui disse que indicará um nome técnico para o posto.

“É da minha cota pessoal. Não será composto com composição partidária. Estou procurando um especialista na área, um nome técnico. Essa é uma área que aposto muito no meu segundo mandato e nós queremos botar alguém que possa dar um salto nas ações da Secretaria de Ciência e Tecnologia. Nós estamos definindo esse nome, mas será sim um nome técnico e não será de composição com nenhum partido político”, declarou, em entrevista à imprensa, durante entrega de ruas de requalificação em Salvador.

Antes, o deputado federal Cacá Leão tinha dito que o seu partido, o PP, discutia com o governador a indicação de um nome para a Secti. “Nós estamos conversando. Estamos discutindo, claro. Nós crescemos nas urnas e tivemos alguns espaços subtraídos na reforma administrativa [feita pelo governador no final do ano passado]. É natural que a gente queira recompor os espaços. Seria uma forma interessante de nos contemplar”, afirmou.

Rui negou que haja a intenção de tirar o comando das universidades da Secretaria de Educação e colocar na Secti, como se especulou nos últimos dias. “Não. Não tem esse planejamento. As universidades continuarão na Secretaria de Educação. Não há planejamento de qualquer alteração neste sentido”, pontuou.

Além da Secti, o governador falta definir ainda os titulares das secretarias de Relações Institucionais (Serin), de Desenvolvimento Rural (SDR), e de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS). Segundo o presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, as pastas, que já são ocupadas por petistas vão continuar com o partido. Nos bastidores, o comentário é de que Cibele Carvalho pode permanecer na Serin ou o ex-deputado federal Luiz Caetano ficar com a secretaria. Já para a SDR, o nome mais cotado é do deputado federal Josias Gomes. Para SJDHDS, Cézar Lisboa pode ficar no comando ou os deputados federais Joseildo Ramos e Nelson Pelegrino podem substituí-lo.

Ontem, o governador também foi provocado a falar sobre a reforma da Previdência do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), mas evitou antecipar um juízo. O secretário especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, afirmou que o texto da proposta está fechado. “Só dá para emitir qualquer opinião quando o projeto for enviado e tivermos conhecimento do projeto que o governo está elaborando. Antes, é especulação. O que eu espero que o projeto não penalize as pessoas mais pobres do país. Não penalize quem utiliza a Previdência para a sobrevivência, incluindo, os trabalhadores rurais e as pessoas mais pobres. Vamos aguardar para ver. Após a divulgação do texto, será possível emitir uma opinião”, declarou.

Compartilhar