Os dois maiores caciques do PP e PSD na Bahia saíram com nariz torcido ontem da reunião do conselho político do governo Rui Costa (PT). Apesar do fechamento de um acordo para que haja consenso entre as siglas da base na disputa pela presidência da Assembleia Legislativa, o vice-governador  João Leão (PP) e o senador Otto Alencar (PSD), que passaram os últimos dias trocando farpas por causa das eleições na Casa, não esconderam a insatisfação com o resultado do encontro. Líderes governistas presentes à reunião contam que a expectativa de ambos era que Rui interferisse na disputa em que os deputados Nelson Leal (PP) e Adolfo Menezes (PSD) despontam como favoritos.

Cautela e canja
Porém, o governador evita favorecer um ou outro nome. Teme que a base rache e a oposição decida a disputa, assim como em 2017. O problema é que Leão exige mais espaço para o PP e Otto quer manter a qualquer custo o comando da Assembleia com o PSD, maior sigla da base.

Casca grossa
Em meio à briga pelo controle da Assembleia, o próximo presidente, seja lá quem for, já tem um pepino para descascar. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve ontem a suspensão do concurso da Casa, que prevê a contratação de 123 servidores com salários de até R$ 4,8 mil. Na decisão, o ministro João Otávio de Noronha, presidente do STJ, diz que o caso deve ser levado à alçada do Supremo Tribunal Federal (STF). O edital para o certame havia sido suspenso pelo Tribunal de Justiça da Bahia no início deste mês, a cerca de 45 dias para a realização da prova, prevista inicialmente para 16 de dezembro.

E o dever de casa? 
O veredito do governador Rui Costa de que não dará suplementação aos poderes Legislativo e Judiciário pode comprometer o pagamento da folha de dezembro. Os presidente da Assembleia,  Angelo Coronel (PSD), e do Tribunal de Justiça (TJ), Gesivaldo Britto, temem ainda não pagar o 13º, segundo parlamentares com trânsito no Palácio de Ondina. Procurado após o recado de Rui, o TJ informou que “desconhece, oficialmente, a questão”. Em viagem, Coronel deve conversar com o governador no retorno.

Compartilhar