O governador Rui Costa anunciou, na manhã desta quarta-feira (1º), que dois espaços em Salvador serão utilizados para abrigar pessoas em condição de vulnerabilidade social infectadas pelo coronavírus: o Parque de Exposições e um local onde funcionava uma faculdade no Rio Vermelho.

A ideia do governador é retirar pessoas contaminadas pelo vírus de casas pequenas, diminuindo o risco de disseminação da doença. Rui Costa aproveitou para convocar voluntários para trabalhar nesses locais.

“Os Estados Unidos e a Espanha fizeram uma ampla convocação de voluntários para essa guerra. Quero convidar você que quer ser voluntário, temos duas unidades que precisam de seus serviços. Uma será no Parque de Exposições e outra onde funcionava aquela universidade no Rio Vermelho, a Ruy Barbosa. Essas unidades receberão pessoas pobres, que moram em condições insalubres, em casas pequenas com muitas pessoas”, disse.

“Se a pessoas seguir ali, vai contaminar todo mundo. Não vai aguentar ficar no barraco sem espaço até para andar. Estaremos disponibilizando o Parque de Exposições e a Ruy Barbosa para recepcionar essas pessoas. Queremos voluntários. Professores, enfermeiros, médicos, pessoas que querem ajudar na secretaria, assistentes sociais. Pode se inscrever no estadovoluntario.ba.gov.br. Começa amanhã [quinta-feira, 2] no Parque de Exposições. Nos próximos dias receberemos as doações de cama, colchão, travesseiro”, afirmou o governador.

O Centro de Acolhimento no Parque de Exposições vai começar a funcionar a partir desta quinta-feira, com capacidade para 300 pessoas. O outro espaço, no Rio Vermelho, entra em funcionamento na próxima semana, com capacidade para 100 pessoas.

Na tentativa de diminuir a circulação de pessoas entre Salvador, cidade baiana que tem o maior número de pacientes com a Covid-19, e a Ilha de Itaparica, Rui Costa contou que determinou a suspensão do serviço de ferry boat durante o feriado da semana santa, comemorado na próxima semana [10 de abril].

“Já determinei ao secretário Marcos Cavalcanti que suspenda o funcionamento do ferry no feriadão da próxima semana. Não teremos ferry na próxima semana. Não queremos ferry lotado de pessoas que vão veranear na ilha. É tudo que não precisamos”, disse.

“Salvador é a cidade com maior número de casos, as pessoas não podem estar no ferry lotado. Vai ter contágio alto de pessoas indo para o interior. Pedi para suspender no feriadão. Temos que tomar consciência, peço compreensão. Estamos em uma guerra. Mantivemos o ferry funcionando, mas no feriadão não vamos oferecer. Para salvar vidas e para segurança de todos. Tem pessoas que não enxergam o vírus e por isso acham que ele não existe”, alerta Rui Costa.

Por outro lado, o governador decidiu relaxar as restrições em cidades que têm pessoas com a Covid-19, mas não registrem novos casos durante 14 dias. Nesses municípios, o fluxo do transporte municipal será restabelecido.

Barreiras, que está há 11 dias sem registrar novos casos, é a cidade que está mais perto de ser beneficiada pela medida.

“A cidade que completar 14 dias sem nenhuma ocorrência terá o fluxo de transporte liberado para cidades que não possuem casos positivos. Barreiras está com 11 dias sem casos confirmados. Se completar 14 dias, vamos liberar o transporte. Desde que não seja para, por exemplo, Salvador, que tem muitos casos confirmados. Não vamos liberar para nenhuma cidade com caso confirmado”, disse Rui Costa.

O governador da Bahia também falou sobre a disponibilização de um aplicativo que vai ajudar a mapear casos de pessoas que estão com suspeita de coronavírus.

“Acabei há pouco uma reunião com esses cientistas. Estamos buscando colocar em lojas de aplicativos de celulares um app para cada pessoa baixar e os dados serem georreferenciados. Cada pessoa relataria se está com sintomas, se está com febre, gripado. Teríamos um georreferenciamento do Nordeste inteiro. Está pronto. Estamos esperando a validação para disponibilizar para as pessoas. Estará disponível nas lojas Apple e Android. Acredito que até sexta consigamos colocar na nuvem para cada pessoa baixar”, afirmou.

Compartilhar