O governador Rui Costa criticou as ações adotadas pelo Governo Federal que impedem a suspensão do transporte interestadual na Bahia. O chefe do Executivo baiano argumentou, em entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta quarta-feira, 27, que enquanto foi possível controlar a circulação dos ônibus no Estado houve maior controle da taxa no avanço do coronavírus.

Rui fez um apelo ao ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello. “Eu faço esse apelo ao ministro, se ele, de fato, quer ajudar o povo brasileiro, que nos ajude a suspender essas autorizações da ANTT para com isso impedir que o vírus caminhe para o interior do Brasil e da Bahia. O ministro, que é um general, sabe que não se vence uma batalha com o exército dividido e com cada um atirando para um lado”, comparou.

O chefe do Executivo estadual argumentou que uma série de decisões liminares é concedida e que permite a liberação do transporte interestadual. Diante disso, apontou que isso ocorre em função do posicionamento da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), por seguir orientações do governo pela manutenção da circulação dos ônibus.

“Durante quase 60 dias, enquanto conseguimos manter ônibus interestaduais sem entrar nas cidades do interior, cerca de 250 municípios não registraram casos do coronavírus. A partir das liminares conseguidas pelas empresas de transporte, em função da posição da ANTT, o vírus começa se espalhar rapidamente. E são empresas, inclusive, que não fazem transporte regular. Elas fazem transporte clandestino camuflado de transporte de turismo e induzem a justiça ao erro”, criticou o govenador.

Compartilhar