O dia 24 de outubro de 2003 marcou o último vôo comercial do Concorde. O jato supersônico franco-britânico se despediu dos ares fazendo o trajeto Nova York-Londres em um vôo da British Airways de 3 horas e meia.

Agora, quase 17 anos depois, a empresa aeroespacial britânica Virgin Galactic promete uma nova revolução na aviação civil.

O CEO do grupo, Richard Branson, revelou nesta segunda-feira (3) o design de uma aeronave capaz de voar a uma velocidade três vezes maior que a do som, equivalente a cerca de 3.700 km/h – 1.521 km/h mais rápido que o Concorde.

Caso o novo jato se confirme, será possível ir de Nova York a Londres em apenas 1 hora e meia.

Foi revelada também a existência de um acordo com a também britânica Rolls-Royce para o desenvolvimento do motor. A fabricante também era a responsável por fornecer os propulsores supersônicos do Concorde, décadas atrás.

A aeronave poderá levar entre 9 e 19 passageiros na primeira classe e classe executiva e conseguirá voar a uma altitude de 60.000 pés – cerca de 18,3 km.

A data de entrega da primeira unidade do novo jato da Virgin Galactic ainda não foi revelada.

Compartilhar