Deputado estadual e pré-candidato à Prefeitura de Salvador pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Robinson Almeida propõe que a escolha do nome que representará a sigla em 2020 seja decidida através da formação de uma maioria de apoiadores ao nome na direção do partido.

“A minha opinião é que, o pré-candidato que conseguir maioria na direção do partido, deve ser o candidato. Esse é o critério objetivo para que possamos definir e não protelar uma decisão que não nos cria as melhores condições de apresentar para Salvador um projeto alternativo do PT”, avalia o deputado.

Além de Robinson Almeida, o PT conta com as pré-candidaturas do ex-ministro da Cultura Juca Ferreira, da secretária de Promoção da Igualdade Racial do Governo do Estado (Sepromi) Fabya Reis, e da socióloga e militante do partido, Vilma Reis.

Para o parlamentar, o Partido dos Trabalhadores erra ao esperar o calendário nacional para formalizar sua agenda local. “O PT não deve ficar submetido ao calendário nacional. Ele deve buscar uma decisão pactuada entre a sua direção e os pré-candidatos para agilizar sua definição. Se aqui há um consenso produzido pelos interessados e pela direção. E apresenta esse calendário de consenso para direção nacional, ninguém lá em cima vai se opor”, garante Robinson Almeida.

Compartilhar