Comprar combustível em Salvador está se tornando um verdadeiro jogo de sorte. Depois da  imprensa  anunciar valores que chegavam a R$ 3,89 para gasolina e R$ 2,89 para o etanol, os preços dispararam mais uma vez. Em, alguns postos o aumento chegou a 76 centavos de um  dia para o outro. Para o presidente do Sindicombustíveis – BA, Walter Tannus era inevitável que ocorresse essa correção.

“Não havia lógica em manter aquela baixa. Os preços vinham reduzindo e nos últimos dez dias ficaram insustentáveis. Não havia explicação a não ser a concorrência. Alguns postos queriam atrair clientes e baixaram, os outros reduziram também. Mas a margem de lucro ficou fora da realidade.”,  disse Tannus e em seguida acrescentou “os donos de postos precisam pagar a mão de obra e comprar, repor os produtos, além disso a maioria da clientela paga com cartão de crédito. Só neste pagamento perdemos muito do nosso lucro”.

Tannus também salientou que a própria imprensa questionou os valores baixos “recebi muitos telefonemas de jornalistas dizendo que a gasolina estava baixa. Então é porque a imprensa sabia, que aquele valor não podia ser mantido.”

Mas os consumidores não gostaram nenhum pouco de acordar com os valores totalmente diferentes. “Não temos mais como nos organizar. Fazemos um planejamento de mês e no outro dia acordamos com os combustíveis mais caros. Qualquer centavo a mais no valor do litro já distorce o orçamento”, disse o engenheiro Renato Vitor, que abastecia seu carro na tarde de ontem, em um posto da Pituba. Ele ainda brincou “ontem, minha esposa conseguiu abastecer com gasolina por R$ 3,85 e hoje já está custando R$ 4,55. Ela deu sorte e eu azar.” No posto da Petrobrás, da Djalma Dutra, valor chega a R$ 4,59.

Já Sandra Richard, quando identificou, que os valores estavam baixos não perdeu tempo e além de abastecer o seu carro também avisou os três filhos e o marido. “Abastecemos todos os carros lá em casa, mas avisei uma amiga para colocar e ela foi no posto e me ligou reclamando dos valores. Incrível, de um dia para o outro amanhecemos com os preços bem maiores. O tanque baixa e lá vamos pagar mais pelos combustíveis.” Questionou.

Desavisado, o estudante de engenharia Andre Gomes acordou cedo para ir a faculdade e separou em dinheiro o valor para colocar o combustível. “Quando vi que estava mais cara a gasolina tive que colocar menos combustível. O desconto em dinheiro também foi cortado, então o jeito foi se conformar. Fazer o que não é!”

Nesta gangorra de preços, o consumidor fica vulnerável e sem poder se programar financeiramente. Se for viajar pode ter surpresas no meio do caminho. “Nós sempre gostamos de viajar de carro. Temos uma neta no Rio e costumamos descer dirigindo. Agora é preciso contar com estes imprevistos. Se for pegar a estrada, tem que se prevenir e dar uma margem de folga no dinheiro dos combustíveis”. Reflete Renato Vítor, que também possui parentes no sul do país. “E assim vai repassando se for de avião e subirem os combustíveis os valores também serão repassados.”, constatou.

Compartilhar