O início da fase 2 da reabertura econômica de Salvador, com a volta de bares, restaurantes, academias, salões e museus, ainda não tem uma data definida, destacou nesta sexta-feira (7) o prefeito ACM Neto. Ele fará uma coletiva neste sábado para tratar do assunto, agora que a cidade já teve cinco dias com taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 abaixo ou igual a 70%, requisito para início da nova etapa. A única coisa garantida para a segunda (10) é uma progressão da fase 1 que vai permitir que shoppings retomem praças de alimentação, seguindo os protocolos. “Tudo vai acontecer com muita cautela”, destacou.

Neto também lembrou que nada impede que, depois de iniciada, a fase 2 seja parada se for notado um desrespeito ao cumprimento das regras. “Se a gente abrir a fase 2 e tiver muito problema, a gente pode voltar atrás. Ou fechar todas as atividades da fase 2”, afirmou. “Tenham paciência, a prefeitura vai acompanhar tudo com cuidado, nossa prioridade é cuidar da vida das pessoas”, diz.

Ele lembrou das oscilações na taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19, que guia a reabertura. “Esses movimentos poderão acontecer, daí porque precisamos ter muita cautela, prudência, para não deixar que um excesso de otimismo tome conta e que a gente ache que agora vai voltar tudo, já vai ativar fase 3”, afirmou o prefeito.

“Tem etapas dentro de cada fase. Por enquanto só vai ter essa progressão (das praças de alimentação). As igreja já querem aumentar a ocupação, eu pedi calma. A única progressão de uma etapa pra outra da fase 1 é praça de alimentação dos shopping centers”, reforçou Neto.

A contagem para a fase 3 só vai começar quando a fase 2 for aberta, diz Neto. “Se tudo der certo, abre na segunda (10). Aí nesse caso a contagem começa terça”, explicou.

Já sobre a reabertura das praias, Neto afirmou que uma decisão só será tomada depois que a fase 2 já estiver estabelecida, com uma análise do impacto que ela teve na cidade. “Não há hipótese de retomar das aulas ou de reutilizar as praias antes de um prazo de 15 dias antes de implementar a fase 2”, disse o prefeito.

Ele lembrou que o trabalho de fiscalização dos protocolos vai exigir muito da prefeitura, que está com equipes nas ruas o dia todo. “São mais de 20 mil estabelecimentos entre bares e restaurantes. Imagine o quão difícil é fiscalizar, controlar e acompanhar. É uma tarefa megacomplicada, mas nós vamos fazer e precisamos do apoio de todo cidadão pra isso. Cada um também tem que ser fiscal do funcionamento de bares e restaurantes. Me preocupa aglomeração e o não respeito ao distanciamento, às regras de higienização e aos protolocos. Vamos estar com uma lupa”, afirmou, dizendo que terá um olhar “muito duro” para os bares para garantir cumprimento das regras.

Neto sinalizou ainda que os bairros que estão com medidas restritivas não podem ter funcionamento de comércio, independente do que estiver liberado no restante da cidade. “Restrição total”.

Com informações de Marcela Villar

Compartilhar