LEIA TAMBÉM:

O governo de Portugal aprovou nesta quinta-feira a suspensão do “dever de recolhimento” em casa imposto em 19 áreas da região de Lisboa, especialmente afetadas pela pandemia do novo coronavírus, dando a possibilidade de bares e boates noturnas funcionarem como cafés.

As medidas, que vinham sendo aguardadas há dias, foram finalizadas no Conselho de Ministros, que aprovou essa flexibilização das restrições após a melhoria dos dados sobre infecções registrados nas últimas semanas.

Desta forma, termina o “dever geral de recolhimento” em casa imposto desde o dia 1º nas 19 paróquias civis – órgão administrativo abaixo da Prefeitura – em que os cidadãos só podiam deixar suas casas para realizar atividades essenciais como trabalhar ou comprar alimentos e remédios.

A partir do próximo dia 1º de agosto, estas áreas serão colocadas em um nível mais baixo de alerta, o “estado de emergência”, em vigor no restante da região da capital.

Nesta fase, são estabelecidas restrições horárias que determinam que a maioria dos estabelecimentos deve fechar às 20h (hora local) e supermercados às 22h (hora local) e o consumo de álcool nas vias públicas é proibido, enquanto as concentrações são limitadas a um máximo de dez pessoas.

Essas medidas são mantidas, pois “elas provaram ser muito eficazes”, disse a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, em entrevista coletiva.

Ela anunciou pequenas modificações nos restaurantes, o que pode permitir que os clientes entrem até meia-noite, embora devam fechar à 1h (hora local), prologando seu horário, e abordou outro dos problemas mais esperados: permitir a recuperação da atividade das discotecas.

Embora tenha sido divulgado anteriormente pela imprensa que esse setor abriria suas portas, a ministra especificou que essas instalações não têm permissão para reabrir como tal, mas agora discotecas e bares noturnos têm a “possibilidade” de funcionar “como confeitarias e cafeterias, seguindo as mesmas regras”.

Isto significa que eles terão a obrigação de fechar às 20h (hora local) no caso da região de Lisboa, em estado de emergência, o que não se aplica no resto de Portugal, que se encontra a um nível mais baixo, o de alerta.

Em qualquer caso, todos terão de respeitar a distância social, o que torna as pistas de dança inutilizáveis.

Portugal registrou hoje 255 novos casos e duas mortes por Covid-19. No total, o país tem mais de 50 mil infecções e 1,7 mil vítimas.

Compartilhar