O potencial agroindustrial do Médio São Francisco baiano, já referendado por empresários, agrônomos, bancos de fomento e fundos de investimentos, ganha um novo capítulo. Os investidores privados que já estão atuando na região ou prospectando investir no Polo Agroindustrial e Bioenergético, promovido pelo Governo do Estado, podem contar com o apoio do Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR). A integração tem foco principal em promover o desenvolvimento sustentável e social da região do Velho Chico. Uma comitiva do governo baiano, com presença do MDR, Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb) e da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) visitou projetos em curso, nos municípios de Barra e Muquém do São Francisco, na quarta-feira (05).

O Polo Agroindustrial e Bioenergético – uma aposta do Governo do Estado para potencializar econômica e socialmente o Médio São Francisco baiano, por meio das Secretarias de Desenvolvimento Econômico (SDE), da Agricultura (Seagri) e de Desenvolvimento Rural (SDR), tem previsão inicial de investimentos privados na ordem dos R$ 2,2 bilhões, em cinco projetos com capacidade instalada anual de 10,5 milhões de toneladas de cana (TCH) e possibilidade de gerar 21,2 mil empregos diretos e indiretos.

“Nós conhecemos a Fazenda Canto da Salina, que está implantando pecuária de cria extensiva, a usina sucroalcooleira do Grupo Paranhos, a Euroeste, que vai investir em suinocultura, e outros projetos que estão plantando mamona, melancia, com a agricultura irrigada. Tudo isto é uma transformação que começa a acontecer aqui na região. Eu tenho certeza que a Bahia vai mostrar ao mundo que o desenvolvimento está aqui no Vale do São Francisco”, destaca o vice-governador João Leão, titular da SDE.

Para o assessor especial do MDR, Aldo Aloísio Dantas da Silva, o Governo Federal, por meio do ministério, tem buscado a interação entre a iniciativa privada e o poder público. “Outra questão que é fundamental, e esse projeto traz com todo vigor, é a questão da integração das empresas âncoras. Nós estamos no Oeste da Bahia, com desenvolvimento fantástico, estou surpreso inclusive pela pujança do projeto de irrigação que vai alavancar de vez, sem dúvida nenhuma, essa região de Barra. E como já ressaltei, trazendo consigo todo um desenvolvimento social, pois, não é possível mais pensar em desenvolvimento puramente econômico”, diz.

Horizonte

Já o presidente da Faeb, Humberto Miranda, defende que a região de Barra do Rio Grande, no São Francisco, está se tornando um novo polo de desenvolvimento da agropecuária no estado. “Com muita alegria estamos voltando ao Oeste da Bahia, que é uma região muito forte para o setor agropecuário brasileiro. Aqui, em Barra do Rio Grande, estamos ganhando um novo destaque nacional e a região merece isso. Entendemos que o setor agropecuário é capaz de fazer essa promoção social tão esperada pela população. Estamos em um momento de dificuldade, pandemia, com desemprego, com economia em baixa e quando a gente vê a pujança de uma região dessa, com essa beleza do rio São Francisco, empresários que estão investindo aqui com tecnologia, com conhecimento e inovação, a gente tem certeza que mais uma vez a Bahia está no caminho certo”, destaca.

Também integram a comitiva Celestino Zanella, presidente da AIBA, Luís Napoleão, diretor de Irrigação da Codevasf, e os secretários estaduais Lucas Costa (Seagri) e Josias Gomes (SDR). A comitiva segue na região até sexta-feira (07).

Compartilhar